Intérprete de Freddie Mercury, Rami Malek ganha o Oscar de melhor ator por Bohemian Rhapsody

Redação Lado A 25 de Fevereiro, 2019 09h46m

“Fizemos um filme sobre um homem gay e imigrante que viveu sua vida sem pedir desculpas. E seu sucesso é a prova de que as pessoas querem ver isso”, disse Rami Malek após receber o Oscar. O ator atuou como protagonista no filme sobre a banda Queen, Bohemian Rhapsody.

Ao interpretar Freddie Mercury, cantor bissexual que fez história representando a comunidade LGBT+, Malek foi brilhante. Em outras ocasiões o ator também foi elogiado, muito antes de ser indicado ao Oscar de 2019.

A atuação de Malek para reproduzir a personalidade de Mercury foi muito bem planejada. Até mesmo uma “dentadura” para imitar os dentes salientes de Freddie o ator usou. Além disso, Malek reproduziu fielmente o estilo de vida da banda que Mercury liderou por quase vinte anos.

Bohemian Rhapsody se passa durante os anos de 1970 e 1980. Assim como Freddie Mercury, Malek também é imigrante, de origem egípcia. Durante a premiação do Oscar, ele agradeceu à sua família e à banda Queen. Além disso, o ator também agradeceu aos demais produtores e membros da equipe que viabilizaram o filme.

Rami Malek tem 37 anos e começou sua carreira com o seriado “Gilmore Girls”. Nessa produção, ele conseguiu uma pequena participação que lhe rendeu outras oportunidades. Após esse período, ele atuou em produções como “Temporário 12”, “Papillon”, “The Pacific”, “Mr. Robot”, pelo qual venceu um Emmy de melhor ator em 2016; e “Uma noite no Museu”.

Oscar 2019

Além do ator, o longa Bohemian Rhapsody ficou entre os principais vencedores da premiação. Na grande noite deste domingo em Los Angeles, Bohemian Raphsody foi indicado à categoria de Melhor Filme, mas perdeu para “Green Book: O Guia”. Por outro lado, o filme que premiou Rami Malek venceu na categoria de Melhor Edição e Mixagem de Som.

O Oscar de 2019 chamou a atenção também por ter premiado muitos artistas negros. Pela primeira vez na história da premiação, foram 7 estatuetas destinadas a artistas negros. Além disso, outro grande avanço de representatividade foi o número de mulheres que também receberam a premiação, quinze no total. Dentre essas mulheres também esteve uma das maiores artistas favoráveis à comunidade LGBT, a cantora Lady Gaga. A artista levou o prêmio de Melhor Canção por “Shallow”, música de seu filme “Nasce Uma Estrela”.

Redação Lado A

SOBRE O AUTOR

Redação Lado A

A Revista Lado A é a mais antiga revista impressa voltada ao público LGBT do Brasil, foi fundada em Curitiba, em 2005, pelo jornalista Allan Johan e venceu diversos prêmios. Curta nossa página no Facebook: http://www.fb.com/revistaladoa

Banner Marcação 1000x220

COMENTÁRIOS