Seguranças de centro universitário são acusados de transfobia em Curitiba

Redação Lado A 11 de Fevereiro, 2019 10h18m

Carla Amaral, de 46 anos, denunciou através das redes sociais a transfobia que sofreu por parte de seguranças de um centro universitário em Curitiba. A transexual publicou no dia 7 de fevereiro que passava em frente ao Centro Universitário FAE quando foi ameaçada pelos seguranças da instituição. Ao levar seus cachorros para passear, se deparou com risos dos seguranças que foram transfóbicos com a mulher.

Amaral disse que passava na rua 24 de Maio, no Centro de Curitiba, quando os seguranças da universidade juntamente com um outro segurança de uma casa noturna próxima ao local se referiram a ela com deboche. Ela estava com uma amiga e parou para questionar aos seguranças o motivo de estarem rindo e eles a ignoraram.

Revoltada com a transfobia, ela atravessou a rua e entrou no centro universitário para perguntar com quem ela poderia reclamar sobre o ocorrido. Ao ser atendida pela recepcionista, foi orientada a fazer uma denúncia formal através do site da instituição, protocolando uma reclamação na ouvidoria.

Ao sair da FAE, ela passou novamente pelos seguranças que agiram com deboche. Carla então questionou o motivo das risadas. Além disso, ela os comunicou de que a função deles era trabalhar e não “cuidar da vida dos outros”. Diante da contestação de Carla, um dos seguranças segurou o cassetete num ato de ameaça. Os outros seguranças, todos armados, começaram a rir ainda mais da transexual. Depois disso, um dos seguranças, identificado pela vítima como funcionário da FAE, chamou Amaral de “cara”. A transexual relatou ainda que ele a expulsou do local, mesmo a rua sendo pública e a vítima estando em seu direito de transitar pelo espaço.

Para formalizar a denúncia na ouvidoria, Amaral perguntou o nome dos seguranças. Eles então começaram a xingá-la e ameaçar, além de continuarem expulsando a transexual do local.

A FAE

Além da reclamação no Facebook e ouvidoria, Carla fez uma denúncia no Disque 100. Sua publicação conseguiu um bom alcance e chegou até o conhecimento do centro universitário. Em resposta, a instituição disse que entrou em contato por telefone com a vítima. O centro informou ainda que já encaminhou a denúncia para a direção da instituição

Segundo o comunicado, a direção da FAE já tomou conhecimento do caso e irá tomar providências. A universidade disse que abrirá uma sindicância interna que levará 30 dias para ser concluída. Esse prazo pode ser prorrogado. Além disso, a universidade disse que consultará em breve a vítima para prestar maiores informações sobre o caso.

Muito chateada. Fazia tempo que não sentia na pele o ÓDIO e TRANSFOBIA, fico triste que nesta altura da minha vida,…

Posted by Larama Alrac on Thursday, February 7, 2019

Resposta da Fae Centro Universitário:Prezada,Inicialmente, gostaríamos de esclarecer que, provavelmente, a sua…

Posted by Larama Alrac on Friday, February 8, 2019

 

Redação Lado A

SOBRE O AUTOR

Redação Lado A

A Revista Lado A é a mais antiga revista impressa voltada ao público LGBT do Brasil, foi fundada em Curitiba, em 2005, pelo jornalista Allan Johan e venceu diversos prêmios. Curta nossa página no Facebook: http://www.fb.com/revistaladoa

Banner Marcação 1000x220

COMENTÁRIOS