Condenado por transmitir HIV de propósito aos seus parceiros, Daryll Rowe pede desculpas

Redação Lado A 27 de Março, 2019 15h53m

COMPARTILHAR

TAGS


Um morador do Reino Unido foi condenado por infectar propositalmente um grupo de cinco pessoas com o vírus HIV. A condenação inédita no país ocorreu em novembro do ano passado. Agora, em recente entrevista para a BBC, Daryll Rowe contou mais sobre o caso e suas motivações. O escocês foi o primeiro caso de condenação no Reino Unido pelo crime de espalhar o vírus HIV intencionalmente.

Daryll contou que começou a infectar outras pessoas por estar em negação com o próprio diagnóstico. O escocês recebeu a notícia sobre o HIV em 2015 e desde então começou a pedir para que o sexo com seus parceiros fosse sem camisinha. Segundo a clínica que entrou em contato com o escocês para falar sobre a infecção, um ex-parceiro dele portava o vírus e teria passado para Daryll.

Diante do diagnóstico, o acusado chegou a dizer na Justiça que tentou terapias alternativas para a cura do HIV. Uma dessas alternativas foi beber a própria urina, o que, segundo Daryll, o fez acreditar que estaria livre do vírus. No lugar dos medicamentos antirretrovirais indicados para o tratamento de HIV, Daryll incluiu outras terapias por não aceitar que portava o HIV.

A alegação de Daryll por ter infectado seus parceiros foi a de que ele estava “bloqueando” a consciência de que era portador do vírus. Além disso, ele disse ter usado sua infecção como uma arma contra seus parceiros que por ventura quisessem romper o relacionamento com ele. Na mesma entrevista à BBC, Daryll falou sobre sua condenação e disse estar arrependido de sua “atitude imatura”.

O caso

Logo após saber sobre seu diagnóstico de HIV, Daryll começou a se relacionar com outros rapazes. A maioria dos contatos para encontros eram realizados pelo aplicativo relacionamentos gays Grindr. Ao se encontrar com os rapazes, Daryll insistia para que eles fizessem sexo sem camisinha.

Diante do alto risco de contrair alguma infecção, os parceiros se recusavam a se relacionar sem o preservativo. No entanto, Daryll forçava o sexo desprotegido ao furar os preservativos que usava com seus parceiros. Dessa forma, ele infectou cinco pessoas e tentou infectar outras seis.

Após as relações sexuais, o acusado ainda enviava mensagens ofensivas aos seus parceiros, principalmente aos que queriam romper de vez a relação. O conteúdo das mensagens satirizava essas pessoas e contava a elas que Daryll havia transmitido HIV. A atitude foi bastante considerada pela Justiça que a entendeu como uma pressão psicológica contra os parceiros já infectados pelo HIV.

Uma das primeiras vítimas, Lenny, procurou uma clínica assim que recebeu as mensagens de Daryll. Inicialmente o acusado tinha proposto sexo sem preservativo para o cabeleireiro que imediatamente recusou o encontro. Porém, quando Daryll mentiu dizendo que concordava em usar o preservativo, Lenny o recebeu em sua casa.

Ao procurar a clínica para realizar os exames, o cabeleireiro soube que seu caso não era único. Depois disso, tentou localizar outras possíveis vítimas de Daryll para que juntas fossem até a Justiça. Após a conclusão das investigações, Rowe foi condenado à prisão perpétua pela juíza Christine Henson. Para a magistrada, o acusado é uma grave ameaça para a comunidade gay do Reino Unido.

Redação Lado A

SOBRE O AUTOR

Redação Lado A

A Revista Lado A é a mais antiga revista impressa voltada ao público LGBT do Brasil, foi fundada em Curitiba, em 2005, pelo jornalista Allan Johan e venceu diversos prêmios. Curta nossa página no Facebook: http://www.fb.com/revistaladoa

Banner Marcação 1000x220

COMPARTILHAR

TAGS


COMENTÁRIOS