Anitta fala sobre aposentadoria e sobre sua bissexualidade: “Normal”

Redação Lado A 06 de Junho, 2019 11h45m

COMPARTILHAR

TAGS


Em entrevista ao site Shangay no mês passado, a cantora Anitta, que divulgava seu novo álbum Kysses, na Europa, falou sobre um assunto que não é segredo mas que ela pouco fala. A decisão de se abrir sobre o tema, é a importância, segundo a cantora, de se posicionar nos tempos atuais. A manifestação, com certeza, serviu de trilha para a cantora Ludmilla também revelar que é bissexual e assumir seu namoro com sua bailarina , dias depois.

Família

“Meus pais sabem desde que eu tinha treze ou quatorze anos de idade, e meu irmão, e todos vivem da deles, normalmente. Tive muita sorte com minha família. Não é que minha mãe ame esse fato, mas ela sempre me amou como eu sou. Ela me respeita. Meu irmão não se dava tão bem na adolescência, porque, às vezes, roubava suas pretendentes (risos)”, contou ela.
“Bissexualidade tem sido uma realidade para mim há muito tempo, mais de dez anos. Escolhi o jeito certo de compartilhá-lo, porque não queria contar diretamente para a imprensa. Porque eles poderiam ter usado como eles queriam. A mídia está sempre procurando cliques e polêmicas, talvez eles a tivessem tratado de uma maneira que não fosse respeitosa. Eu queria contar isso com absoluta normalidade, porque é algo que qualquer um pode experimentar, e eu esperei pelo momento perfeito para fazê-lo. Agora estou em um lugar onde muitas pessoas me ouvem, e eu também queria aproveitar isso, para poder fazer a diferença”.

Sexualidade

“É verdade que nunca tive um relacionamento duradouro com uma mulher … ou não me lembro. Vamos ver se agora alguém ofendido aparece dizendo que eu esqueci dela! (risos) Aqui eu não me importo de tratar essa questão (minha bissexualidade) porque esse é o meio que é, mas é algo que eu nunca usei para promover meu trabalho. Eu só quero que as pessoas vejam que é normal; sei que há pessoas que não têm coragem de dizer isso, mas não as julgo. Eu entendo que é difícil enfrentar”.

Política

“Também faço por isso. Não é algo que está acontecendo sozinho no Brasil, olha o que está acontecendo em Brunei, onde você pode matar pessoas LGBT com pedras. Que triste! É por isso que é tão importante enviar mensagens de amor. Meus amigos gays no Brasil têm medo do que pode acontecer, mas sabemos que somos muito fortes. As pessoas que votaram no presidente pensaram nas mudanças que isso poderia causar na economia, na educação e na luta contra a violência, e eu tenho que respeitar isso. O problema surge quando vemos que temos um presidente com preconceitos. E também estou muito preocupado com o meio ambiente, que as florestas amazônicas não são atendidas. Temos que cuidar do nosso mundo, ser gay, rico, pobre, religioso ou não…”

Aposentadoria

“Vou parar daqui a alguns anos, em cinco ou seis. Eu não quero continuar cantando toda a minha vida. Esta profissão está muito cansada: muitas viagens, muita promoção … Eu não faço nenhum trabalho pela metade, eu coloco toda minha energia no que faço. Quero formar uma família, ter filhos … vou trabalhar como gerente, também sou empresária e no Brasil também me dedico a levar outros artistas. Então eu vou fortalecer essa parte”, disse a cantora.

 

Redação Lado A

SOBRE O AUTOR

Redação Lado A

A Revista Lado A é a mais antiga revista impressa voltada ao público LGBT do Brasil, foi fundada em Curitiba, em 2005, pelo jornalista Allan Johan e venceu diversos prêmios. Curta nossa página no Facebook: http://www.fb.com/revistaladoa

Banner Marcação 1000x220

COMPARTILHAR

TAGS


COMENTÁRIOS