Lésbicas que esquartejaram criança de 9 anos se conheceram na igreja

Redação Lado A 04 de Junho, 2019 01h38m

COMPARTILHAR

TAGS


Um crime chocou o Brasil neste final de semana. Duas mulheres mataram um menino de 9 anos, filho de uma delas, em Samambaia Norte, no Distrito Federal. O menino foi morto pela própria mãe Rosana Auri da Silva Candido, 27 anos (à esquerda). Ela teve ajuda de sua companheira Kacyla Priscyla Santiago Damasceno Pessoa, de 28 anos.

Depois de matarem o menino a facadas, o corpo de Rhuan Maycon da Silva Castro foi esquartejado e colocado em duas mochilas. As duas admitiram o crime cometido na última sexta-feira, dia 31, para a polícia que chegou até elas depois de vizinhos desconfiarem e chamarem as autoridades.

As duas haviam fugido há 5 anos do Acre e levaram ainda uma menina de 8 anos, filha de Kacyla, que teria presenciado parte do crime. Antes de chegar à Brasília, passaram pelo Nordeste. As crianças não iam à escola há 2 anos para  não serem encontradas.

Doentio

Elas tentaram incinerar o cadáver na churrasqueira da casa onde moravam mas desistiram. O rosto da criança estava totalmente desfigurado. Ainda, o pênis de Rhuan teria sido mutilado pela mãe há aproximadamente um ano. O que aponta que a mulher não estava em posse de suas faculdades mentais há algum tempo.

Rosana afirmou para a polícia que era violentada pelo ex marido e que foi abusada. Já a companheira acusou a mulher de obrigá-la a cometer o crime e que o relacionamento das duas era abusivo. As mulheres planejaram o crime por um mês. Para elas, era a única forma de solucionar a situação delas pois o menino lembrava o passado.

Segundo o pai de Rhuan, Maycon Douglas Lima de Castro, que nunca desistiu de encontrar o filho, as duas se conheceram na igreja e começaram um caso, e fugiram juntas. Dentro da casa em que elas moravam atualmente com as crianças, que estava mal conservada e com aspecto de abandono, foram encontradas passagens bíblicas escritas nas paredes.

 

Redação Lado A

SOBRE O AUTOR

Redação Lado A

A Revista Lado A é a mais antiga revista impressa voltada ao público LGBT do Brasil, foi fundada em Curitiba, em 2005, pelo jornalista Allan Johan e venceu diversos prêmios. Curta nossa página no Facebook: http://www.fb.com/revistaladoa

Banner Marcação 1000x220

COMPARTILHAR

TAGS


COMENTÁRIOS