Artista trans fica em 7º lugar de Campeonato de Karaokê no interior de São Paulo

Redação Lado A 19 de Setembro, 2019 13h34m

Katy Fiatckosky, única participante transexual do Campeonato Nacional de Karaokê se destacou com seu talento. A mulher ficou em 7º lugar dentre os 39 finalistas do concurso que aconteceu em Caranguatatuba, no interior de São Paulo. Agora, a artista poderá tentar outra seletiva de Karaokê em São José dos Campos.

Apesar de se destacar por seu talento, a colocação de Katy no ranking dos melhores foi muito questionada. Os jurados afirmaram que ela tem a potência vocal masculina. Por isso, não seria justo que Katy vencesse em uma competição na modalidade feminina.

Mas para Katy, sua colocação será muito comemorada. De acordo com a competidora, é importante representar as mulheres trans. Assim, pela importância do evento, a competidora pode mostrar que mulheres trans têm capacidade para exercer várias funções e não apenas a prostituição, como ela mesma mencionou. “Foi uma ‘buta’ experiência cantar ao lado dessas pessoas maravilhosas e ainda ter pego o 7° lugar dentre 39 finalistas.”, afirmou.

Etapas

A primeira seletiva do campeonato de Karaokê aconteceu em julho em Caraguatatuba. Nesse processo, Katy passou para a final, mas não se classificou para o concurso a nível nacional. No entanto, os jurados solicitaram que a competidora prestasse outra seletiva.

Depois disso, Katy passou por um teste em São José dos Campos, em São Paulo, num evento que entonteceu na Arena Beer Karaoke. Nessa seletiva, a mulher passou para a final regional cantando a música Yesterday da banda Beatles. Por fim, na final desse campeonato regional, ela se classificou a nível nacional. Para isso, cantou a ópera Nessum Dorma de Giaccomo Puccini.

Uma vez classificada para o campeonato nacional, Katy se desafiou. Ela cantou a música Shallow de Lady gaga & Bradley Cooper e depois cantou O Sole Mio, música com a qual ela impressionou os jurados.

Redação Lado A

SOBRE O AUTOR

Redação Lado A

A Revista Lado A é a mais antiga revista impressa voltada ao público LGBT do Brasil, foi fundada em Curitiba, em 2005, pelo jornalista Allan Johan e venceu diversos prêmios. Curta nossa página no Facebook: http://www.fb.com/revistaladoa

Banner Marcação 1000x220

COMENTÁRIOS