Frugalidade: Que diabos é isso?

Muito se fala em crise nos dias atuais, em mudanças de hábitos e atitudes para que possamos (sobre) viver bem em meio a um turbilhão de incertezas as quais temos recebido diariamente pela mídia cada vez mais sensacionalista... Mas como falar de recessão e crise para pessoas tão acostumadas com glamour e luxos cada vez mais inapropriados?

Ser frugal segundo o nosso querido Aurélio (dicionário ok?...) é viver de maneira simples e sem luxos desnecessários. Também não quero dar um puxão de orelhas às minhas amigas monas que amam suas futilidades do dia a dia, mas uma coisa é verdadeira: Não vivemos de futilidades!

O que é ser fútil? Fútil em minha opinião é ser vazio por dentro e necessitar de uma camisa de marca para preencher esse vazio. É passar o mês apertado para poder pagar aquela calça Armani ou DG que tanto faz na hora da escolha entre outras peças. É estar no vermelho, durinho durinho, e ainda sair para jantar no restaurante chiquérrimo que tem uma lingüiça por quarenta e cinco reais (esse é valor real).

Ser fútil, como li certa vez, é gastar um dinheiro que não se tem para agradar a quem não se gosta, demonstrando-se ser quem não é! Devido à imaturidade muitas vezes demonstrada por uns e outros acabamos, mesmo sem querer assimilando alguns comportamentos fúteis e desnecessários que em nada irão acrescentar para nossas vidas.
 
Acredito que essa é uma época singular para aprendizagem de todos nós para sabermos adquirir o que realmente é necessário e não gastar nosso suado dinheirinho em qualquer coisa sem real importância. Aprender a dar valor às coisas simples da vida, como um passeio no fim de tarde com um amigo, um beijo da pessoa amada e uma tarde divertida entre amigos assistindo a um filme na TV é essencial.

As coisas simples da vida merecem ser vistas por nós com um carinho todo especial, pois acredito que são essas coisas que dão um valor a mais a nossa existência e serão elas que guardaremos como um tesouro para sempre.




Comentários

Ótimo texto, mais uma palavra para o meu dicionário pessoal ;) Acredito que uma futilidade uma vez ou outra realmente deixa a pessoa mais feliz, porém quando isso se torna uma necessidade, daí sim é hora de parar e avaliar se realmente a pessoa está feliz consigo mesma ou apenas buscando aprovação de terceiros que nem sequer sabem de sua existência.

Comentar

Conteúdo relacionado