O novo garoto de PREPanema. Você está PREParado?

Redação Lado A 29 de Março, 2019 10h05m

COMPARTILHAR

TAGS


Nunca fui muito fã de praia, mas sei que ando meio queimado no meio, pois nem todo mundo curte muito o meu estilo gozador. Mas tudo bem, enquanto não consigo agradar gregos e troianos vamos deixar os aplausos pro pôr de sol de Ipanema “meixmo”.

Que transar sem capa é bom todo mundo já sabe, afinal quem quer chupar bala com papel? Ninguém quer. AIDS é um assunto sério, assustador e ainda cheio de estigmas. Mas, cá entre nós, na hora do oba oba ninguém tá nem aí. A camisinha vai pro pau, quer dizer, pro espaço. E depois vê-se aquele chororô de novela mexicana e das brabas: você me passou isso, fulano de tal me passou aquilo, ciclano tinha herpes, eu sabia. Não há água de coco suficiente pra hidratar tanta lágrima de gente desPREParada. Como se agora alguém estivesse sendo forçado a fazer sexo em plena Trepanema…

O PREP (Pre-Exposure Prophylaxis) Profilaxia Pré-Exposição, bora gastar o inglês do curso, é a combinação de dois medicamentos num único comprimido que impede a ação do HIV. Mas, detalhe, se no passado você fez drama porque Zezinho te passou sífilis, por exemplo, essa novela ainda vai render bastante, pois o PREP não irá te proteger de outras DSTs (Doenças Sexualmente Transmissíveis). Zezinho continuará te passando sífilis e você passará pra Joazinho, e assim sucessivamente. Mas ok, hoje em dia tem tratamento pra quase tudo né, só não tem pra fofoquinha de praia, ou de Whatsapp:

‘_ Você não vai acreditar, lembra daquele garoto lindo do Instagram que te mandei o link, então, soube que ele namorava o amigo do Maçaneta, que pegou metade do Rio no Carnaval, pegou até aquele menino daqui do prédio que passa doença pra todo mundo.

_ O quê? Calma, deixa eu pegar um açaí, começa tudo de novo.’

O mundo nunca esteve tão conectado – inclusive sexualmente – e, mesmo você sendo fiel, estando num relacionamento hiper mega fechado com direito a fotos de “somos felizes para sempre” e 8976543578 likes, o seu namorado pode cometer um deslize (aham), e nessa aventura sair com o cara mais galinha do Ocidente. Até que um dia o exame de sangue volta todo avacalhado e daí fica aquele constrangimento de jogar a imunidade no chão. Só existe uma forma de evitar uma tragédia dessas: a gente se prevenir, assumir a responsabilidade pelos próprios atos; entender que, na loteria do sexo desprotegido, não existe o mocinho nem o vilão.

Até pouco tempo havia uma nuvem tensa sob Ipanema que, mesmo em dias ensolarados, traziam sentimentos nublados; pessoas viviam na sombra com receio de encarar uma tempestade, o drama do “conto, ou não conto”; uma realidade… indetectável.

A boa notícia é que o novo garoto de Ipanema está repaginado, mais leve, instruído e mais PREParado. E se tem uma coisa que eu gosto dessa nova geração é a capacidade de assimilar e processar qualquer informação, a universalidade (estilo de vida com menos preconceitos), a desconstrução de rótulos, a compreensão pelas diferenças e a facilidade de transitar por todas as tribos sem ser algo incômodo. Muito em breve, as pessoas terão menos receio de falar sobre sexo, vai ser comum ser soropositivo, indetectável, negativo, a calçada de Ipanema vai ter espaço pra todo mundo.

Aquela Ipanema chata está com os dias contados, dos gays que se fingiam de héteros e que intimidavam pessoas de diferentes níveis de sensibilidade; das pessoas que crucificavam quem contraía qualquer tipo de doença; dos que taxavam passivos como a mulher da relação, dos parça-brother que se escondiam atrás de músculos de mentirinha e juravam que eram autênticos (ninguém dá nem mais ibope pra essa galera); dos casais de fachada (do interesseiro vs. o que tem medo de ficar sozinho); dos que dividiam o Rio entre Zona Sul e Zona Norte, negros e brancos, gordos e sarados, positivos e negativos.

Hoje, um comprimidinho azul da cor do mar nos protege do HIV. Muito em breve o novo garoto de Ipanema nos protegerá da ignorância. E graças à Internet ninguém, nem mesmo um babaca com ideais pré- históricos, vai rebobinar a fita da evolução porque isso é coisa do passado, e quem anda pra trás é caranguejo.

 

Bruno de Abreu Rangel

Blog: http://wwwbarbrazil.blogspot.com

Redação Lado A

SOBRE O AUTOR

Redação Lado A

A Revista Lado A é a mais antiga revista impressa voltada ao público LGBT do Brasil, foi fundada em Curitiba, em 2005, pelo jornalista Allan Johan e venceu diversos prêmios. Curta nossa página no Facebook: http://www.fb.com/revistaladoa

Banner Marcação 1000x220

COMPARTILHAR

TAGS


COMENTÁRIOS