Pesquisa aponta para aumento do preconceito em sites de redes sociais

Num mundo cada vez mais digital e globalizado também é crescente o ódio em redes sociais na internet como You Tube e Facebook, entre outros. Uma pesquisa realizada pelo Simon Wiesenthal Center baseou-se em mais de 10 mil sites de relacionamento para constatar que a violência e o ódio aumentou entre estas redes sociais que promovem a violência racial, o antissemitismo, a homofobia, a música de ódio e o terrorismo.

O estudo aponta ainda que os atentados de 11 de setembro foram fundamentais para a disseminação desta onda de ódio e terrorismo existente nos blogs, chats, salas de vídeo entre outros meios de tecnologia entre redes sociais.

De acordo com o portal G1, o grupo judaico de defesa dos direitos humanos que porta o nome de um renomado perseguidor de nazistas, vem monitorando a internet em busca de extremistas há uma década, e afirma que a ascensão de sites de redes sociais como o Facebook acelerou a difusão de opiniões racistas e fanáticas nos últimos anos.

Os grupos mais visados na internet, segundo o relatório, incluem judeus, católicos, muçulmanos, hindus, gays, mulheres e imigrantes. Sites de relacionamentos sociais como o Facebook, por exemplo, já estudam possibilidades de minimizar este problema para erradicar de suas páginas a intolerância mundo afora.

O Facebook recentemente removeu diversos sites que negam o Holocausto e divulgou um comunicado no qual esta aponta que sua rede também é amplamente utilizada para promover causas positivas. A internet é uma forte aliada ao ser humano se bem utilizada, o negócio é combater toda e qualquer forma de violência e preconceito.  

Categoria: 




Comentar

Conteúdo relacionado