Ministro diz que governador deve cuidar de “homossexualismo que existe dentro dele”

A encrenca começou quando o governador do Mato Grosso do Sul, André Puccinelli, durante um encontro com empresários esta semana, comentou a respeito da participação do ministro do Meio Ambiente, Carlos Minc, na Meia- Maratona Internacional do Pantanal, que acontecerá no dia 11 de outubro, que ele acreditava que o ministro não iria ao evento, “Porque senão eu (Puccinelli) o alcançaria e ele seria estuprado em praça pública”. Acrescentando ainda que o ministro “é veado e fumador de maconha” e de que seria “estuprado em praça pública”.

Na quarta-feira 23, o ministro Carlos Minc respondeu à altura as ofensas do governador dizendo, em outras palavras, que ele é um gay enrustido. “Examinar e tratar com mais carinho o homossexualismo que existe dentro dele próprio e talvez aceitar isso com mais razoabilidade”, argumentou o ministro. As ofensas não pararam por aí, o ministro ainda disse que o governador sofre de desequilíbrio “ambiental” e “patológico”. “Freud explica que muitas pessoas que têm o homossexualismo enrustido tentam matar o homossexual que há dentro dele próprio. Eu sou um defensor conhecido dos direitos dos homossexuais contra todos os preconceitos. Agora acho que o povo e os tribunais têm de julgar se ele está apto para exercer o governo do Estado”, completou.

O governador Pucinelli enviou uma nota de reconciliação pedindo desculpas ao ministro, lamentando as ofensas em suas declarações e que foram inapropriadas mas o ministro não respondeu.

Categoria: 




Comentar

Conteúdo relacionado