Seguir ou ser seguido...

Recentemente, eu vi uma onda de pessoas curtindo várias fotos de um determinado menino no Instagram. Obviamente, fiquei extremamente curioso ao perceber que esse determinado menino tinha milhares e milhares de seguidores. Um dia, em um encontro com um amigo, durante um almoço, perguntei quem era o menino. 
 
“Um it-boy, ele simplesmente é bonito e se veste bem e as pessoas gostam dele por isso” foi o que ele me disse como se fosse a coisa mais comum do mundo. Naquele dia eu fique pensando, estamos nos tornando pessoas que só seguem o que nos é “visualmente” legal? 
 
Fui dar uma olhada nas fotos desse tal menino, roupas caríssimas, bem bonitinho, extremamente arrumado e super na moda. Mas ficou faltando algo, o que ele queria dizer com todas aquelas fotos estilosas? Sou rico, bonito e tenho estilo? 
 
E então, enquanto eu esperava outro amigo sair de seu trabalho (e eu ficava sentado em um shopping) percebi que as pessoas sempre seguem algo. Uma tendência, um famoso, um “ditador religioso”, uma novela ou até mesmo um amigo.Será que todos nós somos fadados a sempre estar seguindo algo ou alguém?
 
No sexo, e nos relacionamentos, acontece a mesma coisa. Um dos dois é o que acata o que outro fala, o que o outro dita, o que o outro escolhe. Pode acontecer de o poder ser ligeiramente equilibrado na maioria das vezes, mas perceba que provavelmente sempre um dos dois prevalece de quando em quando. No sexo, um gosta de algo e o outro tem que, ou aprender a gostar, ou fazer mesmo assim pra satisfazer o companheiro. No relacionamento, um tem que ceder (nem que seja pouquinho) alguma vez ou outra, para que o companheiro fique satisfeito. Na vida, nós temos sempre que abrir mão de algo para se dar bem ou para não ser mal falado.
 
Então eu realizei: Estamos todos constantemente tendo e sendo seguidores de alguém ou alguma coisa! Isso é bom?
 
Talvez em partes. Mas de todo não pode ser! Não pode ser legal seguir alguém, seja na cama, seja na vida ou seja em um relacionamento! Digo por experiência própria, e essa experiência vem desse caso em particular: Um belo dia esse rapaz que eu sempre achei muito bonitinho resolveu marcar de sair comigo, eu, com um conselho de um amigo, entendi que se tratava de um encontro. Pouco tempo depois, eu percebo que não se tratava nem um pouco disso, talvez pelo fato de ele estar flertando com alguns outros caras a minha volta enquanto estávamos juntos, e BAM! Um amigo que ficou bravo comigo, várias ligações para quem eu não deveria ter ligado, uma ressaca e uma ótima noite minha que foi desperdiçada em vão. 
 
Nesse caso em particular eu fui um seguidor, eu segui o que o rapaz disse, eu segui o conselho do meu amigo e o que aconteceu? Exato: uma grande porcaria! E o pior de tudo? Por ter inventado de seguir o que os outros me falavam, eu acabei errando e quando seguimos algo, os erros são imperdoáveis!
 
Não paro de ficar imaginando quantos de nós somos seguidores, quantos de nós levamos a vida seguindo o que nos dizem as revistas, os sites, os amigos, os namorados, a família, a sociedade, os parceiros sexuais e etc. Seguir é um saco!
 
Ser seguido, depende de pessoa para pessoa, também deveria ser um saco! Sabe o que é legal? Guiar e ser guiado. Seguir é fechar os olhos e se deixar levar, acompanhar cada passo da pessoa seguida. Guiar é quando uma direção nos é apontada e nós decidimos rumar ou não por ela.
 
Não siga ninguém no sexo, guie e seja guiado. Deixe que os pontos sejam mostrados e você trilhe seu caminho, às vezes, os resultados podem ser melhores do que se você seguisse o que lhe é dito, ou até mesmo um padrão a ser seguido.
 
Seguir é praticamente a escravização da nossa sociedade atual! Guie e seja guiado em seus relacionamentos e em sua vida, quando guiados nós temos a permissão de errar, de se enganar até que por fim acertamos (e por conseqüência começamos a nos tornar guias também). É um círculo íntimo de cooperação mútua.
 
Afinal, quando seguimos ou somos seguidos existem apenas dois resultados: O certo e o errado. Mas quando guiamos ou somos guiados, os resultados podem ser quase infinitos. Podemos chegar a outros infinitos caminhos e soluções tanto bons como ruins, nos relacionamentos podemos chegar a patamares que jamais chegamos e tomar conclusões que nunca tivemos e, por fim, no sexo, nesse sim, quando guiamos ou somos guiados, podemos chegar a lugares que nos dão mais prazer do que se seguíssemos um roteiro.
 
Ah e mais uma coisa, não sigam esse meu texto mas guiem-se por meio dele. Logo vocês vão descobrir as infinitas conclusões (e soluções) que ele pode lhes mostrar ;)
 
Rodrigo Urbanski - Designer, redator do blog Seduzi Na Padaria. Apaixonado por Madonna, arte, livros (principalmente os de Stephen King), aspirante a escritor e com um "quê" de comediante.
 
 
 
 

Tags: 




Comentar

Conteúdo relacionado