Em nome da arte: Russo quer transar com 365 homens para desvendar a solidão gay

O artista performático russo Mischa Badasyan, 26, que mora em Berlim, Alemanha, pretende transar com 365 pessoas diferentes nos próximos 12 meses, um a cada dia, em nome da arte. O experimento apelidado de “Save the Date” quer abordar sexo e a sexualidade em tempos de Tinder e Grindr, e outras ferramentas de busca sexual, e sexo em lugares incomuns. Sexo casual e anônimo, a frieza destes encontros em lugares frios contra a vontade de se encontrar alguém para algo íntimo.

Badaysan pretende explorar a conexão entre solidão, transas e a idéia de “não lugares”, conceito do francês Marc Auge. “Supermercados, Shoppings, aeroportos, rodovias... Onde pessoas perdem suas identidades, não há comunicação, as pessoas não se sentem pertencendo a um lugar que as causa solidão”, explica ele, ou seja, o homem vai buscar no sexo casual em não lugares uma forma de mostrar o processo de encontrar alguém. O artista ainda pretende guardar uma lembrança física de cada pessoa com quem transar e montar uma instalação no final ou um "lugar" originado do “não lugar”.

O idealizador do projeto quer medir todos os dias seus níveis de solidão durante o processo. “Eu não nego que seja um pouco egoísta mas OK. É arte performática, e um artista deve sempre estar pressionando seu corpo e a performance”, comentou. O artista já assinou com sites de sexo para reportar as suas aventuras e busca uma empresa de camisinhas para ser seu patrocinador. O projeto está marcado para iniciar em setembro...
 

Categoria: 




Comentar

Conteúdo relacionado