Personagem gay tem overdose fatal antes de desfecho de romance com bofe

A novela das nove, “A Lei do Amor”, da Rede Globo, traz o personagem Zelito (Danilo Ferreira).  Negro, gay e gato, o jovem lembra 21 anos depois o personagem negro gay pioneiro de Lui Mendes, o Jefferson, em A Próxima Vítima (1995).
 
Zelito é barman em um club e conhece o frentista Wesley (Gil Coelho), depois do sumiço de sua amiga Isabela (Alice Wegmann), ex companheira de Wesley, dada como morta, com quem o frentista tem um filho.  É numa discussão com um suspeito do sumiço da garota que eles vão se declarar um ao outro.
 
“Olha aqui, eu não vou deixar você fazer besteira”, diz Wesley.
 
“Posso! Porque eu gosto de você! E não quero que você tenha o mesmo fim da Isabela
 
 “Veio na hora que eu estava pronto pra dizer! Se acalma, Zelito. Por favor, por mim
 
 “Se declarou tarde demais”
 
Wesley vai contar tudo para a patroa Salete (Claudia Raia) que vai apoiar o romance: “Até que enfim você tomou coragem de se declarar para o Zelito”. “Mas esse tipo de coisa é muito difícil pra mim”, diz ele. “E quem disse que amar é fácil, Wesley?”, responde a patroa.
 
Zelito porém vai fazer besteira e acaba assassinado, antes mesmo do romance engatar. Ele descobrirá que o banqueiro Tião (José Mayer) mandou matar sua amiga e acertará um soco nele após invadir seu escritório. Tião mandará seus capangas darem fim nele.
 
Fininho (Hugo Resende) seduzirá o barman na própria boate onde ele trabalha e colocará um comprimido em sua bebida. O barman fica alucinado e morre de parada cardíaca. Mas durante o flerte os dois trocam um beijo, apelidado de “beijo da morte”.
 
 

Categoria: 

Tags: 




Comentar

Conteúdo relacionado