Jovem gay e cristão cria canal no YouTube: De volta ao Reino

Quando pensamos na relação de condenação e pecado que o cristianismo coloca em cima da homossexualidade, dificilmente conseguimos imaginar um caminho fácil de se trilhar. Mas há jovens homossexuais cristãos e novos pastores e padres que dedicam suas vidas a novas interpretações das escrituras e pregam um cristianismo inclusivo. Artur Vieira, mineiro de Uberlândia radicado em São Paulo, dono do canal no YouTube “De Volta ao Reino”, é um desses jovens que decidiu estudar a teologia para provar que é possível ser gay e cristão.
 
Ator e formado em comunicação, Artur se deparou, há mais de uma década, com a necessidade de encontrar uma teologia inclusiva, onde mulheres, negros e homossexuais fossem aceitos. Passou a estudar os modelos dos Estados Unidos e Europa até que, em 2014, fundou, com um grupo de amigos, o canal De Volta ao Reino como um ministério de comunicação. 
 
Apesar de tocar o canal sozinho atualmente, ele continua trazendo ideias e vozes de grandes nomes da teologia inclusiva. Ele fala sobre relacionamentos, sobre o sexo depois do casamento, sobre pastores como Malafaia e Feliciano. Ou seja, ele aborda tanto experiências próprias de descobertas, saídas do armário, decisões sobre como lidar com a fé e a sexualidade e, é claro, o preconceito. 
 
Para ele, é possível ser gay e cristão e viver feliz, sem o pecado e a condenação. “Minha felicidade é ler os comentários nos vídeos dizendo o quanto eu consegui ajudar alguém a se aceitar ou a entender melhor a sociedade, os gays e, principalmente, a bíblia e os cristãos”, revela. Artur conta, também, que já foi ameaçado de morte por conta dos seus vídeos, mas que, apesar da tristeza, essas mensagens e comentários não afetam seu trabalho.  Seus vídeos são bem didáticos e cheios de amor.

Lembrando que em Curitiba temos ao menos cinco igrejas inclusivas.

 
Conheça um pouco mais e assista o vídeo “Cadê os gays? Se Deus criou apenas Adão e Eva”:


 

 

 

Categoria: 

Tags: 




Comentar

Conteúdo relacionado