Protestos contra a "cura gay" marcam a semana em Curitiba

Em protesto contra a decisão de um juiz federal sobre a “cura gay”, aconteceu no dia 21 de setembro, sexta-feira, a Vigília Contra a “Cura Gay”. O evento aconteceu na Boca Maldita, em Curitiba, por volta das 19h. LGBT e simpatizantes da causa se reuniram no local, junto com representantes do Conselho Regional de Psicologia (CRP) que organizaram o evento. Em frente a um banner com os dizeres  “Diferença não é doença. Respeito é um direito”, militantes, profissionais e comunidade deram declarações sobre o tema. O evento contou com a participação de aproximadamente 60 pessoas que seguraram velas, balões e bandeiras LGBT em meio à discursos em favor da igualdade. 

Em 1999 a homossexualidade foi retirada do Código Internacional de Doenças (CID) e nos últimos dias o assunto veio à tona devido a uma liminar aprovada no Distrito Federal/DF, permitindo que os LGBT’s sejam tratados por psicólogos. A Coordenadora do Núcleo de Diversidade do Conselho Federal de Psicologia, Grazielle Tagliamento, discorreu sobre a dificuldade em manter os direitos LGBT’s em tempos conservadores, que ignoram preceitos científicos. “É algo inconcebível, principalmente o judiciário querer gerenciar uma profissão que tem base científica.”, declarou Grazielle. Márcio Marins, coordenador da Associação Paranaense da Parada da Diversidade (APPAD), declarou: “Existe um processo de perseguição de certos grupos da sociedade, esses grupos convervadores não estão medindo esforços.”

No Domingo, dia 24, foi a vez do MON receber mais um protesto. Desta vez, mais de 500 pessoas compareceram em evento amrcado pelo Facebook e sairam marchando pelas ruas do Centro de Curitiba até o Largo da Ordem. Com frases de ordem contra a "cura gay", o manifesto foi o segundo de uma série de três eventos previstos. Nesta terça-feira, um grupo irá até a Justiça Federal, no Ahu, protestar, após o almoço.

 

 
 

Categoria: 

Tags: 




Comentar

Conteúdo relacionado