10 táticas de dominação usadas por conservadores e fundamentalistas para espalhar a homofobia

A sensação é que os preconceituosos estão conseguindo seu objetivo de anular o avanço dos direitos LGBT no Brasil, mas não. Eles apenas estão aplicando táticas velhas e conhecidas de dominação, que passam a ilusão de vitória, mas que de fato oprimem e criam muito mal à psique da comunidade LGBT. Eles podem até ameaçar algumas conquistas por algum tempo e provocar uma sensação de retrocesso. Faz parte do jogo e resolvemos explicar bem para as pessoas entenderem as táticas usadas para diminuir a importância da comundiade LGBT.
 
10 táticas de dominação usadas por conservadores e fundamentalistas para espalhar a homofobia deles
 
Inimigo comum
Transforme seu oponente em um inimigo da maioria. Atribua ao seu inimigo algo unânime e rodeado de rejeição incontestável. Uma ameaça às crianças, uma ameaça à família, à humanidade. Ligue a imagem do inimigo a algo totalmente deplorável. Exemplos: “Os gays querem direitos especiais”, “Eles querem corromper as criancinhas”, "É uma escolha, uma pouca vergonha que querem que aceitemos como normal"

Dividir para conquistar
Coloque todos do grupo oponente uns contra os outros e o todo perderá força. Jogue os mais velhos contra os mais novos, eleja os mais ativos como mal intencionados, plante a discórdia. Exemplos: “Nem os próprios gays concordam com os ativistas”, “Parada gay é só baixaria”
 
Dissimulação
Finja que não se importa, que seus objetivos são nobres. Com isso, ataque os pontos fracos do oponente, explorando a ignorância e fortalecendo a dúvida razoável. Importe situações desconhecidas de outros lugares e use como argumento a seu favor.  Exemplos: “Daqui a pouco vão legalizar a pedofilia e o casamento com animais”. “É horrível a manifestação publica de carinho seja homo ou hétero”, "Há países que a diversidade sexual inclui a pedofilia" 

Difamação
Pegue um indivíduo do grupo que comprove os seus argumentos e generalize para todo o grupo, mostre que tinha razão. Transforme a desinformação e dúvida em concordância com o seu ponto de vista. Mostre que os seus pontos fracos são piores neles. Exemplo: “Eles não respeitam e querem respeito”, “Eles são intolerantes”, “É esse o respeito que eles querem”, "Eles querem transformar o país em uma ditadura gay"
 
Use seu poder econômico, bélico e político
Compare o seu grupo com o outro e mostre que vocês são mais importantes, tem mais poder. Use argumentos práticos para obter o silêncio de quem apoia o outro grupo. Coaja aliados, se necessário, e quem se aproximar do mesmo grupo, usando as mesmas táticas que usa para combater o inimigo. Exemplo: “A família brasileira não concorda com o kit gay”, "Somos o povo de Deus"

Expropriação
Aos poucos vá diminuindo a sustentabilidade do outro grupo, retire os apoios, os recursos, bens, os direitos. Ele perderá tempo e irá se desestruturar tentando reaver isso, enquanto você avança em outros sentidos. Exemplo: “É uma vergonha a prefeitura apoiar esses eventos de deprevação”. "Com o nosso dinheiro não" 
 
Terrorismo
Quando o outro grupo der um passo, grite. Crie barulho para apontar os seus pontos de vista. Assuste a todos com a ideia que a mudança desconhecida pode mudar tudo. Faça paralelos dos avanços do outro grupo com um futuro apocalíptico. Cobre posicionamento de todos os seus membros até que haja o retrocesso. Exemplo: “O Omo declarou guerra “, “Tem que baixar o cacete”, "É o fim do mundo"
 
Apropriação cultural
Sobreponha a sua cultura a outra, se não houver como, resignifique seus símbolos, crie ações paralelas. Tudo o que tiver de bom ou de sucesso na cultura alheia deve ser apropriado para atrair ou tirar a atenção para o grupo correto. Datas comemorativas devem coincidir ou ficarem próximas, por exemplo. Exemplos: 17 de maio, dia Internacional contra a homofobia. 18 de maio, dia nacional contra o abuso e exploração infantil; Marcha para Jesus semanas antes da Parada do Orgulho LGBT, no mesmo local

Aniquilação
O seu sucesso será quando ninguém se importar com o seu inimigo e ele não tiver visibilidade. Para isso, aos poucos vá destruindo suas reivindicações e argumentos, tirando a importância das demandas e dizendo que eles se auto excluíram do todo, que assumem uma divergência, que há outras prioridades, que são egoístas, e por isso não devem ser levados em conta. Repita, até que a mentira se torne uma verdade. Exemplo: “Esse é um assunto para quatro paredes”, “Então morreram menos homossexuais do que héteros”, “A prioridade do país é a Saúde e a Educação”


 

Tags: 




Comentários

Comentar

Conteúdo relacionado