Revelação: Tartaruga mais velha do mundo é homossexual

Para aqueles que consideram a homoafetividade antinatural, a ciência mostra que a natureza é inconstestável. Uma tartaruga de nada menos que 186 anos, considerada a mais velha do mundo, é homossexual. Jonathan, como é chamado, relaciona-se há muitos anos com Frederica, no entanto, os cientistas descobriram que ela, na verdade, é outro macho.

As tartarugas habitam na ilha de Santa Helena, território britânico do Atlântico Sul. Há mais de 25 anos as tartarugas se relacionam,  e os moradores de Santa Helena estranharam a falta de filhotes. “Frederica” foi apresentada a Jonathan em meados de 1990, quando ele apresentava um comportamento muito agressivo. Desde então, os dois vivem na mais perfeita harmonia. Jonathan e “Frederica” acasalavam religiosamente todos os domingos de manhã.

Ao tratar uma lesão no casco de “Frederica”, os cientistas desconfiaram que podia se tratar de um macho. As diferenças sexuais entre as tartarugas não são tão nítidas, o que pode gerar muitas dúvidas. Alguns aspectos, no entanto, indicam a sexo masculino de “Frederica”, como o tamanho do estômago e marcas no casco. O pênis da tartatuga macho fica dentro do corpo quando não está estimulado, sendo assim, para evitar procedimentos invasivos, o cientista Donald McKnight desenvolveu uma espécie de vibrador para estimular o órgão sexual do animal. 
 
Curiosamente, em Santa Helena, o casamento entre pessoas do mesmo sexo é proibido. Em várias partes do mundo, pessoas usam a natureza para tentar justificar sua homofobia. Por outro lado, está mais do que provado não só pelo exemplo de Jonathan e “Frederica”, mas por outros estudos que indicam que a homossexualidade é natural. Em 2016, foi proposta uma lei para liberar o casamento homoafetivo na ilha de Santa helena, o que foi negada através da indignação da população local, que é de 4 mil habitantes. 
 
 

Categoria: 

Tags: 




Comentar

Conteúdo relacionado