Cultura

Revista Bravo discute estética gay na literatura

Na edição de dezembro da principal revista brasileira sobre cultura, a Bravo, o escritor e jornalista José Castello, autor do livro A Literatura na Poltrona, faz um grande apanhado pela literatura homoerótica dos dois últimos séculos e afirma que a estética homossexual não existe, assim como não existe uma estética heterossexual. “Supor que o amor homossexual é sempre o mesmo é tão ingênuo quanto imaginar que as relações heterossexuais, só porque se repetem entre parceiros de sexos opostos, se equivalem.




Videosátiras ganham o You Tube

Com produção modesta mas muito empenho, uma nova categoria de vídeo ganha a internet. São sátiras, traduções e dublagens de vídeo clips famosos. Nada de novo, essa mania de traduzir livremente as letras de músicas em língua estrangeira, usar o ritmo alheio para fazer comédia ou dublar as músicas já estão na internet faz tempo. Mas, agora, a busca pela fama impulsiona novas produções e até rivalidades.




Desenhista Maurício de Sousa fala com exclusividade sobre novo personagem supostamente gay dos quadrinhos Tina

Na sexta edição da revistinha Tina, lançada esta semana, o personagem Caio diz que “tem um compromisso” e fala ao amigo do lado “Não é, fala aí pra eles”. A insinuação foi suficiente para que os leitores e a imprensa acreditassem que Caio, dito melhor amigo da jornalista Tina, é homossexual. O episódio da edição 6 se chama “O triângulo da confusão” e parece estar fazendo jus ao título. A publicação “Tina” - do mesmo criador da Turma da Mônica, Maurício de Sousa - é voltada ao público jovem e adulto, .



Jovem sueca faz mangás com pornografia homo

Natalia Batista, 23 anos, participou na semana passada do Festival Internacional de Banda Desenhada Amadora (FIBDA), em Portugal. A jovem, filha de pai português e mãe sueca, produziu um mangá (desenho japonês) fora do convencional. Em Yaoi Hentai, estilo de quadrinhos homoeróticos, não há super-herói, vilão ou qualquer outro personagem típico do mundo HQ, mas homoerotismo explícito feito para mulheres heterossexuais e gays.




Assistimos o filme “2012”

Tsunamis, terremotos, erupções vulcânicas e outros eventos catastróficos fazem parte do novo filme do diretor alemão Roland Emmerich, “2012”, que estréia esta semana em todo mundo. A indústria do cinema hollywoodiana sabe que o chamado ‘cinema catástrofe’ é um tiro certo que encontra um público que parece se deslumbrar com o tema apocalíptico e mórbido do fim da humanidade. Vide “Indepedence Day (1996)”, “O Dia Depois de Amanhã (2004)” (do qual Emmerich foi diretor e roteirista) e “Fim Dos Tempos (2008) –  todos com ótimas bilheterias no Brasil e no resto do mundo.
 




Brooke Shields é lésbica e luta pela guarda do filho em O que faz uma família

O filme "O que faz uma família" conta a historia de um casal lésbico vivido por Nielssen (Brooke Shields) e Sandy Catali (Cherry Jones) que se apaixonam e decidem casar, mesmo sem a cerimônia ser oficialmente legal, e contam com a aprovação dos pais. Com isso, Nielssen e Sandy decidem ter um bebê e fazem inseminação artificial em Sandy, que dá a luz a uma linda menina chamada Heather. Porém, pouco depois do nascimento da criança, ela descobre que tem lúpus.



Matthew Shepard: gay morto espancado nos EUA em filme na tevê a cabo

O filme A História de Matthew Shepard é baseado em fatos reais, ocorridos em 1998, com o jovem Matthew Shepard (Shane Meier), um estudante gay que foi assaltado brutalmente em Laramie, a trinta milhas a noroeste de sua cidade, Cheyenne, no estado de Wyoming, nos Estados Unidos. Protagonizado por Shane Meier no papel principal e por Stockard Channing, que recebeu o prêmio Emmy como melhor atriz coadjuvante, o filme mostra como era a vida do jovem antes da tragédia que chocou os EUA.




Mostra de Cinema e Direitos Humanos traz filmes gays a Curitiba e Porto Alegre

A 4ª Mostra Cinema e Direitos Humanos na América do Sul, que passará por 16 capitais brasileiras, chega a sua etapa Sul em outubro e traz em na programação filmes produzidos na América do Sul que abordam a temática dos Direitos Humanos. Quatro deles abordam a temática LGBT, o longa "Não Conte a Ninguém" do diretor Francisco J. Lombardi; o curta “Phedra”, de Claudia Priscilla; o média “O Signo da Cidade”, de Carlos Alberto Riccelli e “Os sapatos de Aristeu de René Guerra.




Crítico gay de gastronomia conta como venceu o sobrepeso em novo livro

Frank Bruni, famoso colunista gastronômico do The New York Times por cinco anos, gay e guloso assumido, conta no livro lançado nos EUA “Born Round” (Nascido redondo) sua vida e carreira como o mais prestigiado e temido colunista gourmet da mais cosmopolita cidade do mundo. Seus comentários foram por anos aguardados todas as quartas-feiras no jornal que traz um caderno sobre boemia e gastronomia de Nova York. Hoje ele é escritor interno na The New York Magazine e pesa 80 quilos.




Portugal: rapazes nus cantam em peça de teatro em Estoril

Estreou nesta terça-feira, dia 8, a peça musical Rapazes Nus a Cantar, no Auditório Casino Estoril, em Portugal. Os sete atores e cantores escolhidos tiram as roupas para mostrar como os homens se sentem despidos cada vez que falam de si próprios. Se trata de coisas de homens, amor, sexualidade, idas ao ginásio. O responsável pela produção, em Portugal, é Robert Schrock e Henrique Feist, diretor-geral responsável pela produção e adaptação. Henrique diz que o nu causa um choque inicial, mas que depois as pessoas ficam habituadas.




Livro com temática gay é lançado por jovem na Bienal Internacional do Livro do Rio de Janeiro

Será lançado no próximo dia 19 de setembro, durante a 14ª Bienal Internacional do Livro do Rio de Janeiro, no estande da Giz Editorial, às 16 horas, no Riocentro, o livro “Diário de Rafinha – as duas faces de um amor”. O autor Léo Dragone é um jovem de 19 anos, de Salvador.
Sua obra é uma história fictícia de uma personagem adolescente, do sexo masculino, que vive situações que o atormentam. O personagem sente-se atraído pelo namorado da irmã. Amizade e amor platônico se confundem envolvendo o leitor num final inesperado.




Exposição: Eu aceito, Eu respeito - na Parada de Floripa

O fotógrafo gaúcho Rodrigo Bragaglia, expõe na Semana da Diversidade de Florianópolis seu novo trabalho “Eu Aceito, Eu Respeito!”. O tema é o mesmo da 4ª Parada da Diversidade de Florianópolis, que acontece no Domingo, na Avenida Beira Mar Norte.Rodrido clicou cinco famílias da ilha, que aceitam e respeitam a opção sexual dentro de suas casas. As imagens mostram o respeito e o amor que existem dentro das famílias onde existe a diversidade sexual. 
Para mais informações, acesse o site oficial do fotógrafo: www.rodrigobragaglia.com



Filme Mambo Italiano

Uma ótima dica de DVD para o final de semana é “Mambo Italiano”, comédia rasgada no mais alto estilo italiano e marcada pela temática homossexual. O filme é de 2003 e já participou de alguns festivais concorrendo em Toronto no “International Film Festival” e também em Quebec e foi apresentado nos maiores circuitos de cinema.

Com direção do canadense Steve Galluccio, o filme conta a história de Ângelo, interpretado por Luke Kirby, que abandona sua casa e família para viver o sonho de ser um roteirista de filmes para TV.




Curitiba ganha sua I Bienal do Livro

Acontecerá entre os dias 27 de agosto e 4 de setembro a I Bienal do Livro de Curitiba. Sob o tema “Ler é conquistar a Liberdade” o evento trará escritores renomados do circuito nacional como: Carlos Heitor Cony, Pedro Bandeira, Ruy Castro e Miguel Sanches Neto.

O evento literário é um dos mais importantes do país. A programação é bastante extensa e diversificada e agradará a todos. Haverá palestras, oficinas, exposições e demais atividades ligadas à área cultural.




Assistimos: Brüno – Leia crítica

Por Allan Johan

Assistimos ao polêmico filme Brüno que estréia no Brasil nesta sexta-feira. O novo filme Bruno é ardiloso, pesado, escrachado, vulgar e incrivelmente engraçado. Assim como toda boa miss, busca a paz mundial. O novo personagem de Sasha Baron Cohen (Borat, 2006) é um gay non sense, do tipo que a sociedade mais condena, que é discriminado até mesmo no meio homossexual. Mas que, no final, ele se mostra um ser humano vítima da cultura capitalista e dos estereótipos. Bruno tira sarro de tudo, até dele mesmo.




De repente, Califórnia estréia em Curitiba

Após grande sucesso nas salas de cinema de São Paulo, o longa “De repente, Califórnia” (Shelter, EUA 2007) estréia em Curitiba, Fortaleza e Salvador esta semana. O filme conta a história de Zach (Trevor Wright) que de repente se vê obrigado a abandonar seus sonhos de estudar em uma escola de artes para poder ajudar sua família, em que o pai se torna inativo por conta de um problema de saúde.




Cinema nacional: Elvis e Madona

Um pai abandona a família para se tornar travesti. Anos mais tarde, tenta se reconciliar com os parentes, mas se apaixona pela namorada do filho. Após ver essa cena em um programa sensacionalista norte-americano, o diretor Marcelo Laffitte se inspirou para escrever seu roteiro de “Elvis e Madona”. Uma produção nacional guardou parte da essência do ocorrido visto por Laffitte pela TV americana.




Páginas