Últimas Notícias

Deputados conservadores retiram termos orientação sexual, igualdade de gênero e racial do Plano Nacional de Educação

Nesta terça-feira, durante reunião da comissão especial que analisa o Plano Nacional de Educação na Câmara, um verdadeiro circo foi armado e na base do grito e com cartazes, deputados da base conservadora reuniram votos suficientes para excluir do texto que norteará a Educação do país nos próximos dez anos a frase: "com ênfase na promoção da igualdade racial, regional, de gênero e de orientação sexual". O texto fica segundo como foi aprovado no Senado Federal: "promoção da cidadania e na erradicação de todas as formas de discriminação".




Novo livro “Tempo Bom, Tempo Ruim” do deputado federal Jean Willys aborda sua trajetória e pensamentos

O sempre combatente militante e político Jean Wyllys, “Tempo bom, tempo ruim” será lançado no próximo dia 3 maio, e traz textos seus sobre assuntos polêmicos como minorias, manifestações de junho, homofobia, politica e maconha. Eleito como melhor deputado federal do Brasil em 2013 e 2012, pela revista Congresso Em Foco, por meio de votação popular, o parlamentar formado em jornalismo, vencedor do Big Brother Brasil 5, nascido na pequena cidade de Alagoinhas, no interior da Bahia, é hoje um dos principais defensores das minorias e dos direitos humanos no Congresso Nacional.




Divers@: Casal de escritoras de SC lança coleção por nova editora com olho no mercado LGBT

Este mês foi fundada em Blumenau, SC, a Editora Divers@. Diedra Roiz e Wind Rose lançam também juntas a primeira coleção do selo, Coleção Arco-Íris, com romances escritos pela dupla e publicados anteriormente na web. A iniciativa é de duas escritoras casadas e já conhecidas do público, com livros publicados e que bombam na internet entre as garotas com mais três amigas: Manuela Neves, Thais Gliosci e Tainá Diniz.




Censuradas e Enlouquecidas: Lésbicas amarguram gelo no casal Clara e Marina em “Em Família”

Pelo visto a Globo resolveu mais uma vez seguir as pesquisas de opinião para separar o casal Clara e Marina em “Em Família”. O romance de Clara (Giovanna Antonelli) e Marina (Tainá Müller) perde força, e Clara renovou seus votos de fidelidade com o maridão, Cadu (Reynaldo Gianecchini), um dia depois de quase beijar a amada. Boatos de que a emissora detectou a rejeição do público e o tão anunciado casal gay pode não se consumar.




Adote um gay: Família adota jovem gay que sofria homofobia na casa dos pais

Corey, um jovem gay e suicida de uma pequena cidade do Michigan, Estados Unidos, que sofreu abuso físico e psicológico dos pais biológicos e depois foi adotado por uma mulher solidária e sua família é a bandeira de uma realidade pouco divulgada: de jovens homossexuais que sofrem em lares de adoção ou em suas famílias por serem homossexuais. Um recente caso na justiça italiana de uma família que devolveu um jovem adotado após dois anos depois que ele se revelou gay também chamou a atenção para a vida destes jovens rejeitados por quem deveria os amar incondicionalmente.




Uruguai: Arcebispo pede desculpa aos gays e diz que houve erro de comunicação

Daniel Sturla, novo arcebispo de Montevideo desde março, realizou no início do mês sua primeira missa crismal na catedral da capital uruguaia e afirmou à imprensa que teve problemas de comunicação com as outras instituições, inclusive com a comunidade gay. Ao se reunir com a Associação de Famílias Lésbicas, Gays, Bissexuais, Transexuais e Homoparentais do Uruguai há duas semanas ele pediu desculpas em nome da Igreja. Em junho, o arcebispo se encontrará com o papa Francisco em Roma.




Mãe que matou menino de 4 anos por andar e falar como gay pega prisão perpétua

Jessica Dutro, 25 anos, condenada no júri popular de Oregon, Estados Unidos, por ter matado em 2012 seu filho Zachary Dutro-Boggess, um dia antes de seu aniversário de 4 anos de idade pegou prisão perpétua por causa do crime ocorrido em um abrigo da cidade de Tigard. A pena foi divulgada na última sexta-feira, pouco mais de 20 dias depois do julgamento em que ela e o namorado foram condenados em júri popular.  O padrasto, Brian Canady, 24,foi condenado a 12 anos e meio de cárcere.




Índia pode rever proibição da homossexualidade restaurada no ano passado

A lei que bane a homossexualidade na Índia, que foi restaurada depois de uma decisão da Corte Suprema do país deve ser novamente discutida a pedido da Fundação Naz. A apelação foi feita ao Ministro da Justiça depois que o país aprovou uma lei que reconhece o terceiro  sexo no país na semana passada.

O pedido é para reexaminar a seção 377 da Constituição, restaurada em dezembro do ano passado. A pressa para botar o assunto em discussão é em razão de uma possível vitória conservadora nas próximas eleições de 2015 que poderia atrasar a revisão do tema.




Páginas