Últimas Notícias

Gloria Groove, a drag queen rapper que está dominando as paradas musicais

A cantora drag Gloria Groove lançou o seu novo álbum completo no YouTube no último dia 03 de fevereiro. Aos 21 anos, original de Vila Formosa, São Paulo, a drag pretende conquistar o país com a sua versão de Hip & Hop e R&B falando sobre os problemas da comunidade LGBT, do preconceito e da arte de fazer drag. Depois de estourar com os videoclipes de Dona e Império, a gata espera conquistar mais fãs com as faixas de “O Proceder”.



Lady Gaga canta hino gay Born This Way no Super Bowl

A cantora Lady Gaga foi a principal atração do intervalo do SuperBowl, final da NFL (National Football League), um dos principais eventos esportivos e televisivos dos Estados Unidos. Os comentários sobre a apresentação quebraram as Redes Sociais até no Brasil, onde o evento não é tão acompanhado. Fato é que Lady Gaga cantou Born This Way, hino LGBT, no evento, em um estádio do Texas, um dos estados mais conservadores do país.
 
O portal “USA Today” ressaltou que durante a letra de Born This Way, há a estrofe “não importa se você é gay ou bi, lésbica ou transgênero”. Esta seria a primeira vez que a palavra transgênero fora dita em um Super Bowl. Apesar do marco, a apresentação de Gaga deixou a desejar para muitos fãs, que esperavam mais ousadia e ativismo da sua parte. 
 
“O público esperava algo mais politicamente explícito”, comentou Daniela Mussi no Facebook. Seja por ordens da organização ou por escolha de um repertório com críticas embutidas, Lady Gaga não fez nenhum discurso abertamente contra Trump, mesmo tendo declarado publicamente a sua posição contrária ao presidente. Fato é que Gaga deu um espetáculo e não deixou a desejar ao homenagear a comunidade LGBT com Born This Way.
 
A apresentação foi o 2º Maior Show do Intervalo do Super Bowl em número de audiência, ficando atrás apenas do apresentado por Katy Perry, em 2015. Gaga foi confirmada logo em seguida para o Rock In Rio deste ano, na programação do primeiro dia.


Confira o show da Mama Monster:






 
A cantora Lady Gaga foi a principal atração do intervalo do SuperBowl, final da NFL (National Football League), um dos principais eventos esportivos e televisivos dos Estados Unidos. Os comentários sobre a apresentação quebraram as Redes Sociais até no Brasil, onde o evento não é tão acompanhado. Fato é que Lady Gaga cantou Born This Way, hino LGBT, no evento, em um estádio do Texas, um dos estados mais conservadores do país.
 
O portal “USA Today” ressaltou que durante a letra de Born This Way, há a estrofe “não importa se você é gay ou bi, lésbica ou transgênero”. Esta seria a primeira vez que a palavra transgênero fora dita em um Super Bowl. Apesar do marco, a apresentação de Gaga deixou a desejar para muitos fãs, que esperavam mais ousadia e ativismo da sua parte. 
 
“O público esperava algo mais politicamente explícito”, comentou Daniela Mussi no Facebook. Seja por ordens da organização ou por escolha de um repertório com críticas embutidas, Lady Gaga não fez nenhum discurso abertamente contra Trump, mesmo tendo declarado publicamente a sua posição contrária ao presidente. Fato é que Gaga deu um espetáculo e não deixou a desejar ao homenagear a comunidade LGBT com Born This Way.
 
A apresentação foi o 2º Maior Show do Intervalo do Super Bowl em número de audiência, ficando atrás apenas do apresentado por Katy Perry. 



It Gets Better Brasil será lançado em março em Curitiba

 
Curitiba será mais uma vez pioneira ao receber a parceria do projeto It Gets Better, que se consagrou como um movimento mundial de ajuda a jovens LGBTs em situação de opressão e abuso. O Espaço Paranaense da Diversidade anunciou, com alegria, a chegada do material promocional da campanha, camisas, bottons e adesivos, e informou sobre a gravação do primeiro vídeo em Curitiba, que acontecerá no dia 17 de março, durante as comemorações dos 25 anos do Dignidade.



Side Club abre nesta sexta-feira com mega evento em novo endereço

Para quem ficou com saudades do Side Caffe, agora Side Club, que por mais de 10 anos animou a noite na Alameda Cabral, vai poder curtir a casa que reabre no próximo dia 10 de fevereiro, sexta-feira. O Side é um xodó curitibano para quem viu o bar crescer de uma garagem até um grande club que agora ganha novo endereço, mas mantendo a proposta de música eletrônica e ambiente amigável. A nova casa será na Jaime Reis, 310, em um local com super estrutura e glamour para os sidelovers.




Jovens LGBTs expulsos de casa pelos pais contam com anjos para abrigá-los

Matheus - nome fictício - tinha 17 anos quando seu pai descobriu que ele era gay. O seu maior medo se tornou verdade. Motivado pelo machismo e homofobia, o pai de Matheus o espancou e expulsou de casa. Apesar da denúncia na delegacia, nada foi feito e Matheus precisou encontrar um abrigo que o acolhesse até arranjar um emprego e poder alugar um espaço para viver sozinho.
 
A história de Matheus aconteceu em Curitiba, em 2013. São linhas que se repetem todos os anos, com outros jovens em diversas cidades do país.



Cantor andrógino Johnny Hooker faz o seu show de despedida em Curitiba

Nacionalmente conhecido por suas músicas na trilha sonora do filme Tatuagem e de novelas da Rede Globo, como Babilônia e Geração Brasil, Johnny Hooker vem à capital paranaense para um dos seus últimos show do primeiro disco: “Eu Vou Fazer Uma Macumba Pra Te Amarrar, Maldito!”. O espetáculo acontece no próximo dia 11 de fevereiro, às 21hs, no encantador palco da Ópera de Arame. 
 
O cantor LGBT fez sucesso com os singles “Volta”, “Amor Marginal” e “Alma Sebosa”.



Miguel Falabella desconstrói mitos sobre a homossexualidade com peça “God”

E se Deus estivesse cansado de todo esse preconceito e julgamento errado que acontece no mundo todo, o que ele faria? Na peça “God”, de Miguel Falabella, Deus desceria para a Terra, ou melhor, para os palcos, e ao lado dos seus arcanjos Gabriel e Miguel, questionaria as noções religiosas sobre os seus mandamentos, por meio de muita comédia. A peça está em cartaz no teatro Procópio Ferreira, em São Paulo, até o dia 19 de fevereiro. Mas já passou por Curitiba e pretende voltar para o sul do país.
 
Falabella interpreta o Todo-Poderoso, além de ser o diretor da peça.



Páginas