internacional

Polícia russa prende cinco ativistas LGBT que entregariam abaixo assinado ao governo

Desde que foi noticiado mundialmente que a Chechênia mantém campos de concentração para homossexuais, a Rússia – que proíbe com uma lei antigay qualquer “propaganda” da homossexualidade, vem sendo alvo de protestos e críticas. Esta semana, a polícia russa deteve cinco ativistas, em frente à Procuradoria Geral da Rússia, em Moscou, que buscavam entregar uma petição contra as ações do governo da Chechênia, território russo independente.



Quatro novas prisões para gays são encontradas na Chechênia

Inicialmente, o jornal russo Novaya Gazeta denunciou duas prisões na Chechênia que funcionavam no estilo de campos de concentração, prendendo e torturando centenas de homossexuais, uma na vila de Argun e outra em Tsotsi-Yurt. Correspondentes do jornal na região confirmaram a descoberta de mais quatro centros na região. Os jornalistas e funcionários do jornal recebem ameaças diárias de morte e são considerados inimigos do estado checheno. 
 
Evidências apontam que pelo menos seis prisões estão mantendo pessoas em cativeiro por conta das suas orientações sexuais.



ONU divulga relatório que coloca o Brasil entre os países que desrespeitam os Direitos Humanos

A cada determinado período de tempo, a ONU (Organização das Nações Unidas) faz um trabalho de análise ao respeito dos Direitos Humanos em países do mundo inteiro, inclusive o Brasil. No Relatório da ONU apresentado este ano, avaliadores, especialistas e relatores colocam o país no hall das nações que contam com uma “discriminação estrutural”. Os direitos humanos da população LGBT são um dos tópicos preocupantes.



Embaixadas da Rússia são alvo de protestos contra campo de concentração gay

Parece que a história se repete para a Russia. Em 2013, no Brasil, e em 2014, na Argentina, ativistas LGBTs fizeram protestos contra as embaixadas russas pelas leis anti-LGBTs em vigor no país europeu. Agora, o protesto acontece na embaixada russa de Portugal, em Lisboa. O movimento “Um ativismo por dia” mobilizou centenas de pessoas para protestar contra os campos de concentração de gays na Chechênia.
 



Chechênia mantém mais de 100 homossexuais em campos de concentração

No início de Abril, a imprensa mundial noticiou que cerca de 100 homens homossexuais haviam sido presos pela polícia Chechena, região que pertence à Rússia. Agora, relatos de fugitivos, que permanecem anônimos por motivos de segurança, confirmam que foram criados campos de concentração para LGBTs na região e que eles são eletrocutados, espancados e até mortos.
 
A veracidade das informações é difícil de ser atestada, visto que qualquer pessoa corre risco de vida ao denunciar esse tipo de informação na Rússia ou de entrar em contato com ONGs LGBTs.



Dinamarca retira a transexualidade da lista de distúrbios mentais

A Dinamarca é mais uma vez o centro das atenções da comunidade trans. Depois do filme “A Garota Dinamarquesa” contar a história de Lili Elbe, agora a Dinamarca é novamente pioneira ao retirar a transexualidade da lista de doenças mentais no país. A decisão foi aprovada em Maio de 2016, mas só entrou em vigor no dia 1º de Janeiro de 2017. Agora, o país usará um código exclusivo para tratar as questões de identidade de gênero.




Dois filmes que vão dar o que falar: "Discreet" e "Call me by your name"

O Festival Internacional de Cinema de Berlim, também conhecido por Berlinale, de 2017 já é considerado o mais queer da história, ao trazer títulos que mexem com a diversidade de uma maneira sensível e bem real. “Call me by your name” surgiu de forma arrebatadora e está conquistando os críticos da cidade. Com distribuição garantida no Brasil pela Sony, ele promete muito ao lado de “Discreet”, que aborda as relações de homens brancos e negros dentro do armário em um Texas conservador.



Tom of Finland vai virar emojis e promete fazer muito sucesso

Tom of Finland foi um artista Finlandês que contribuiu para a transformação da imagem do universo homossexual no século XX. Responsável pelas ilustrações eróticas mais icônicas da década de 60, 70 e 80, o artista representou um universo de erotismo e fetichismo baseado em homens musculosos, machos e selvagens, que fizeram parte da sua adolescência e vida adulta nas ruas e fazendas finlandesas.




Bomba em área gay de Nova York deixa 29 feridos

Os Estados Unidos sofreram com uma série de ataques e explosões em áreas urbanas do seu território no último final de semana. O bairro de Chelsea, em Nova Iorque, bastante habitado pela comunidade LGBT, foi atingida por uma bomba, que feriu 29 pessoas. O ataque aconteceu próximo às 20h30m de sábado, entre a Sexta e a Sétima Avenidas. 
 
Outro dispositivo foi encontrado e desativado pela polícia próximo ao local.



África do Sul barra pastor homofóbico de entrar no país

O Ministro dos Negócios da África do Sul, Malusi Gigaba, anunciou oficialmente na última terça-feira, 13, em Joanesburgo, que o pastor norte americano Steven Anderson e sua igreja não são bem-vindos no país. A decisão veio depois de muito protesto por parte da comunidade LGBT do país, uma vez que a religião abomina a homossexualidade e prega que ela deve ser penalizada com morte.
 
Chamada de Faithful Word Baptist Church in Tempe, na versão em inglês, a igreja planejava fazer uma campanha para evangelizar almas na África do Sul no final deste mês.



Homem quer criar país exclusivo para gays onde héteros precisam de visto especial

Você já parou para pensar como seria um país apenas de pessoas LGBTs? Seria um paraíso com praias, baladas, bares, shows, arte e pegação ou seria um território que precisaria de policiamento pesado nas fronteiras, como Israel? É impossível afirmar, mas o ativista Viktor Zimmerman, da organização separatista Gay Homeland Foundation de Nova York, defende a criação de um Estado independente organizado e dirigido por LGBTs, onde a maioria da população seria formada por membros da comunidade. 
 
A sua ideia foi apresentada em uma entrevista ao portal Vice.



Homem gay é atacado a facadas no metrô de Nova Iorque

Na noite do último sábado, 5, no trem 1 da estação Morningside Heights de Nova Iorque, um homem foi atacado e esfaqueado por um passageiro, que o chamou de “bicha”. A polícia investiga o caso como suposto crime de violência homofóbica. A vítima estava no metrô com seu namorado e irmã, por volta das 7hrs da noite, quando entrou em uma discussão com outro passageiro. 
 
Na estação seguinte, quando saia do trem, o suspeito do crime atacou a vítima no peito com um objeto afiado e, logo em seguida, ambos entraram em uma briga corporal.



Páginas