Arquivo importado

Shopping do Rio Grande do Sul retira imagens de casal gay de exposição fotográfica

Redação Lado A 08 de Dezembro, 2017 18h50m

COMPARTILHAR

TAGS


Uma campanha publicitária com exposição de fotos em um shopping de Santa Cruz do Sul, no Rio Grande do Sul, teve imagens censuradas pela administração do estabelecimento. A mostra fazia parte do trabalho da fotógrafa Paula Saldanha Werlang, de 20 anos, e continha um casal gay representando a luxúria da exposição intitulada “Os Sete Pecados Capitais”.

A estudante responsável pela exposição de fotos é amiga do casal de namorados Brendon Lopes e André Policena, também de 20 anos de idade. O trabalho de Paula faz parte de um projeto acadêmico do curso de Fotografia da Universidade de Santa Cruz do Sul e não apenas um, mas três retratos com a imagem do casal foram o motivo de uma notificação que a estudante recebeu da gerência do Shopping Germânia para que ocultasse as peças. 

 
Na manhã do dia 24 de novembro a exposição foi montada antes do expediente do local e faria parte da mostra até o dia 26. Em poucas horas, a gerência solicitou a retirada dos quadros com as imagens de Rafael e André sob o argumento de que “as imagens escolhidas para ilustrar o pecado da luxúria poderiam sujar a imagem do shopping perante os frequentadores”, segundo a estudante. O shopping teria alegado ainda que os clientes reclamaram das fotos e que o local tinha que sustentar uma posição neutra quanto às questões de gênero e sexualidade.
 
Inconformada com a censura, Paula aceitou o convite de uma loja igualmente sensibilizada que ofereceu sua vitrine para os retratos advertidos. Mais uma vez e em poucos minutos, a gerência solicitou novamente a retirada das imagens, mesmo dentro da área de uma loja. “Fiquei arrasada e muito surpresa”, disse a fotógrafa. 
 
“Acho que se você se importa tanto com a vida de outra pessoa, é porque a sua está precisando de cuidados e reparos”, diz Brendon, um dos modelos da mostra. Ele e o namorado, André, acreditam que a censura de suas imagens foram mais um caso de preconceito, o que os dois afrimam já estarem acostumados a viver, uma vez que já foram diversas vezes reprimidos em função de sua sexualidade. 
 
Para o professor de direito Edson Botelho Silva Júnior da Universidade de Santa Cruz do Sul, a mesma em que Paula desenvolve seu projeto, “o tratamento que você dá a um casal homoafetivo tem que ser o mesmo que você dá a um casal hétero.”. O professor entende que, se uma imagem com casais heteros, como aparece constantemente em diversas campanhas publicitárias, nunca sofreu nenhum tipo de retaliação, o mesmo deve acontecer com campanhas de casais homossexuais.  “É fácil ser hétero. É a expectativa de um padrão estabelecido. Artista não tem padrão, é livre. Não espere uma exposição de arte que esteja dentro do padrão.”, explica. 
 
O shopping Germânia continua com a posição de que as imagens foram retiradas a pedido de clientes. O estabelecimento afirma que, como comércio público, deve se manter neutro com questões de diversidade sexual, o que não significa que o público LGBT não seja bem vindo no local. O shopping ainda teria usado o fluxo de crianças como argumentação para censurar as peças. 

 

 
Redação Lado A

SOBRE O AUTOR

Redação Lado A

A Revista Lado A é a mais antiga revista impressa voltada ao público LGBT do Brasil, foi fundada em Curitiba, em 2005, pelo jornalista Allan Johan e venceu diversos prêmios. Curta nossa página no Facebook: http://www.fb.com/revistaladoa

Banner Marcação 1000x220

COMPARTILHAR

TAGS


COMENTÁRIOS