O lado nada inocente das redes sociais e da busca pelo corpo perfeito

Redação Lado A 25 de Julho, 2018 13h25m

COMPARTILHAR

TAGS


Uma rede social está virando febre na internet. Tudo porque o site OnlyFans oferece a possibilidade de ver nudes de pessoas famosas ou não a partir de um pagamento online. Apesar de o site ser mais conhecido no exterior, alguns modelos brasileiros já estão usando a plataforma para se promover e ganhar dinheiro.

Através de um conta vinculada ao Twitter, os usuários podem postar não só nudes, mas qualquer outra imagem ou vídeo. Porém, o tipo de foto mais vendida e comentada, são as imagens com nudez. O usuário tem a opção de cobrar entre 4,99 e 20 dólares por assinatura e o site fica com 20% dos valores.

O site oferece um aplicativo que lembra bastante a interface do Instagram. Além disso, as opções de interatividade se assemelham a alguns aplicativos de relacionamento. Desse modo, é possível vender nudes aos usuários interessados em determinadas pessoas. O site ainda procura promover as personalidades através das redes sociais e incentiva que eles mesmos o façam.

Entre os brasileiros adeptos ao Onlyfans estão os modelos Ryan Young, Rodiney Santiago e Ross Norton. Santiago acumula 20 posts, e cobra 9,99 dólares por mês para seus admiradores terem acesso às suas fotos. Já Young e Norton somam mais de 900 posts e cobram entre 7,99 e 14,99 dólares de seus seguidores.

Lá fora tem famosinho do Instagram ganhando mais de 40 mil euros por mês só com sua base de fãs.

Pornô gay

Homens gays e bissexuais famosos no Instagram usam da plataforma OnlyFans não apenas para vender nudes. Uma outra forma de lucrar é através de vídeos pornográficos gays. É o caso do modelo americano Jack Mackenroth, de 49 anos. Seguido por milhares de pessoas no Instagram, o modelo usa o OnlyFans para participar de vídeos pornográficos. Além disso, ele exibe imagens em que aparece nu. Por mês, Jack cobra 14,99 dólares e diz que recebe milhares de dólares por mês.

A pedido dos fãs, o modelo começou a usar a plataforma para pornografia. Apesar de não gostar do pornô tradicional feito em estúdio, Jack adotou a plataforma para ganhar dinheiro com seus mais de 800 seguidores. Segundo o modelo, o retorno financeiro é considerável e atrativo. Jack prefere fazer filmes com uma ou duas pessoas, mas já chamou outros atores para participar de suas filmagens. Por semana, o modelo gasta 20 horas apenas produzindo conteúdo para o OnlyFans.

Exposição

Após o advento das redes sociais, os limites sobre exposição estão cada vez mais questionáveis. Recursos como os da plataforma OnlyFans ilustram bem a prática que conquista cada vez mais adeptos, seja na busca por reconhecimento através de visualizações, ou pelo dinheiro.

Apesar da vasta exposição, o site OnlyFans possui uma política de privacidade. Segundo a plataforma, o conteúdo deve ser divulgado individualmente, não podendo o usuário copiar ou reproduzir a imagem. Ironicamente, a regra busca manter a privacidade dos famosos que se expõem intimamente no site.

Do ponto de vista psicanalítico, a exibição sexual é mais uma forma de exprimir a sexualidade do indivíduo através da exposição. Tanto para as pessoas que compram quanto para as que disponibilizam conteúdo na plataforma, existe uma troca prazerosa que configura uma prática sexual. Por outro lado, a prática analisada por um viés social exprime a realidade das relações fora da internet. Cada vez mais afastados e avessos à vínculos, as pessoas buscam prazer sem comprometimento, e a exibição e interatividade virtual são uma forma de fazê-lo.

 

 

Redação Lado A

SOBRE O AUTOR

Redação Lado A

A Revista Lado A é a mais antiga revista impressa voltada ao público LGBT do Brasil, foi fundada em Curitiba, em 2005, pelo jornalista Allan Johan e venceu diversos prêmios. Curta nossa página no Facebook: http://www.fb.com/revistaladoa

Banner Marcação 1000x220

COMPARTILHAR

TAGS


COMENTÁRIOS