Miss Simpatia Trans é agredida pela madrasta no interior do estado

Eleita Miss Simpatia Trans de Quatingá através de um concurso realizado em Curitiba este mês, a cabeleireira Paola Pimentel sofreu diversas agressões por sua madrasta. O crime aconteceu na sexta-feira, dia 10 de novembro, quando por sete vezes a madrasta bateu e humilhou Paola, que continua recebendo ameaças. Moradora de Quatiguá, a 334 km de Curitiba, no Norte do Paraná, uma cidade de pouco mais de 10 mil habitantes.
 
Após encontrar a atual esposa de seu pai, Paola começou a ser agredida verbal e fisicamente em virtude de transfobia. Seu vestido usado no concurso foi destruído e seu corpo ficou com diversos hematomas, principalmente no rosto. "A agressão não é uma opção, se algo te incomoda nunca será através da violência que a circunstância vai mudar. Respeite, independente de cor, gênero e etnia”, disse a vítima. 
 
Paola registrou boletim de ocorrência contra a madrasta e está reunindo provas de outras agressões, pois essa não foi a primeira, mas a vítima não havia feito nenhuma denúncia. A cabeleireira clama por justiça e pede para que a sociedade respeite as pessoas trans. “Vou lutar por todas as trans do Norte Pioneiro, cansei de ser humilhada, as trans têm seus direitos e são muitos, não podemos nos calar temos nossos direitos perante a Justiça!”, disse. 
 
Em 3 de novembro, Paola Pimentel participou do Miss Curitiba Trans. O evento tem como objetivo elevar a auto estima de mulheres trans e servir de símbolo de luta contra a transfobia no país que mais mata transgêneros. Paola ficou em 4º lugar e recebeu o título de Miss Simpatia no concurso que aconteceu no palco do Teatro Guairinha, em Curitiba.  

 
 

Categoria: 

Tags: 




Comentar

Conteúdo relacionado