PM é afastado após beijar outro homem no metrô de SP

Redação Lado A 05 de Julho, 2018 20h21m

Um vídeo de um PM de São Paulo beijando dentro outro homem dentro do metrô está circulando pela internet. O policial é Leandro Barcello Prior, de 27 anos, que sofreu inúmeros ataques homofóbicos através das redes sociais. O vídeo postado no final de junho viralizou rapidamente e ainda está circulando mesmo que a retirada da gravação já tenha sido solicitada.

No vídeo veiculado, Leandro aparece trocando selinhos com outro homem. A simples demonstração de afeto despertou nas redes sociais inúmeros comentários de ódio. Leandro estava voltando para casa, já fora de seu horário de expediente, e teve sua imagem veiculada sem autorização.

A grande repercussão do vídeo rendeu até mesmo ameças de morte. Então Leandro pediu uma licença médica para se afastar do trabalho e segue internado em um clínica. O soldado está em choque com a repercussão do caso e seguirá afastado até dia 12 de julho, quando a Polícia Militar irá decidir sobre o policial.

A Polícia Militar informou em nota que está apurando o caso, em especial, o comportamento do soldado. “A conduta do PM fardado no metrô captada em vídeo será apurada única e exclusivamente sob o aspecto administrativo, pois demonstra postura incompatível com os procedimentos de segurança que se espera de um policial fardado e armado, que exigem que esteja alerta.”, disse a PM. Em contrapartida, o advogado de Leandro, José Beraldo, disse que a vida pública de seu cliente deve ser separada de sua vida enquanto servidor da Polícia Militar. Para ele, o comportamento na vida particular de Leandro não tem relação com sua atuação enquanto profissional.

Outra posição contrária ao policial, foi a do governo do Estado de São Paulo. Segundo Márcio França (PSB), “a farda deve ser respeitada”. O governador declarou ainda que não se deve fazer gestos afetivos em público enquanto se representa o Estado, seja com homem ou mulher.

Ameaças

Quanto às inúmeras ameaças de morte e violência que Leandro Barcello recebeu, todas serão investigadas. Segundo o advogado do policial, para cada ameaça serão registrados boletins de ocorrência. Beraldo afirmou ainda que está junto com a polícia rastreando o responsável  por gravar e divulgar o vídeo na internet.

Suspeita-se que algumas ameaças sejam de outros policiais militares. Para o advogado Beraldo, mesmo que o crime de homofobia não esteja previsto em lei, esses soldados podem ser punidos. Desde 2001, existe a lei 10.948 no Estado de São Paulo que pune administrativamente discriminação homofóbica nas repartições públicas.

A Polícia Militar repreendeu a atitude de Leandro em beijar outro homem enquanto estava fardado. No entanto, disponibilizou sua equipe para ajudar nas investigações junto ao advogado Beraldo. A Polícia disse que está trabalhando na proteção do soldado devido às ameaças, e ajudando no rastreio das mensagens.

 

 

 

Redação Lado A

SOBRE O AUTOR

Redação Lado A

A Revista Lado A é a mais antiga revista impressa voltada ao público LGBT do Brasil, foi fundada em Curitiba, em 2005, pelo jornalista Allan Johan e venceu diversos prêmios. Curta nossa página no Facebook: http://www.fb.com/revistaladoa

Banner Marcação 1000x220

COMENTÁRIOS