Após atacar criminalização da LGBTfobia, Bolsonaro diz que supremo deveria ter ministro evangélico

Redação Lado A 02 de Junho, 2019 18h20m

COMPARTILHAR

TAGS


“O Supremo Tribunal Federal agora está discutindo se homofobia pode ser tipificada como racismo. Desculpem, ministros do Supremo Tribunal Federal, a quem eu respeito, e jamais atacaria um outro Poder. Mas, ao que parece, estão legislando”, afimou o presidente Jair Bolsonaro na última sexta-feira, 31, em Goiânia, na Convenção Nacional das Assembleias de Deus Madureira.

“O Estado é laico, mas eu sou cristão. Como todo respeito ao Supremo Tribunal Federal, existe algum, entre os 11 ministros, evangélico, cristão assumido? Não me venha a imprensa dizer que quero misturar Justiça com religião. Será que não está na hora de termos um ministro do Supremo Tribunal Federal evangélico?”, continuou a falar o presidente que dias antes se reuniu com o presidente do STF.

Como resultado da reunião de Bolsonaro com Dias Tóffoli, na semana passada, a continuação do julgamento da mora legislativa que deve criminalizar a LGBTfobia no Brasil, prevista para o próximo dia 5, foi alterada para o dia 13. Já o julgamento sobre a descriminalização da maconha, que também foi pauta da reunião do dia 28 de maio com o presidente, não tem previsão de retornar para plenário no STF.

 

Redação Lado A

SOBRE O AUTOR

Redação Lado A

A Revista Lado A é a mais antiga revista impressa voltada ao público LGBT do Brasil, foi fundada em Curitiba, em 2005, pelo jornalista Allan Johan e venceu diversos prêmios. Curta nossa página no Facebook: http://www.fb.com/revistaladoa

Banner Marcação 1000x220

COMPARTILHAR

TAGS


COMENTÁRIOS