Curitiba: Universidade se recusa a ceder espaço para evento LGBT+ organizado por estudantes

Redação Lado A 23 de Agosto, 2019 16h40m

COMPARTILHAR

TAGS


A Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUCPR) negou a autorização para a realização de um evento LGBT+ em um de seus espaços. Estudantes organizaram em maio deste ano o Coletivo Estudantil Diversidade (CED) que iria realizar um evento de fundação do movimento. Segundo os organizadores, foi solicitado o uso o Salão Nobre do curso de Direito e a PUCPR não autorizou em uma atitude de censura.

O fundador do Coletivo, William Antônio Costa Grande, afirmou que a primeira negativa veio da coordenação do curso de Direito. Depois, os membros do CED receberam a mesma resposta do Setor de Identidade da Universidade. Diante do impedimento para o evento LGBT+, os estudantes membros do Coletivo emitiram uma nota de repúdio.

De acordo com o CED, a atitude da universidade foi de censura e conservadorismo. Os estudantes afirmaram ainda que repudiam a atitude da PUCPR, que teria alegado que não apoiaria “movimentos estudantis que tratem de pautas de fronteira”. O evento em questão contaria com a presença dos ativistas Marcel Jeronymo e Nicolle Schio.

Nota

Em nota, a PUCPR afirmou que que o Coletivo Diversidade não teria seguido os trâmites necessários para o uso de espaços na universidade em eventos acadêmicos. Por isso, reiterou que não autorizaria a realização do evento. A decisão seria da Reitoria da PUCPR, do curso de Direito e da Diretoria de Identidade da Universidade.

A universidade afirmou ainda que é pautada pelos valores do Evangelho, por isso, entende a importância da diversidade. Além disso, a PUCPR informou que está aberta ao diálogo com respeito conforme os princípios da tradição Marista.

Controvérsias

Apesar da justificativa institucional, os estudantes afirmam que seguiram todos os trâmites necessários para o uso da Salão Nobre.

Os estudantes falam ainda sobre censura. A vice-presidente do CASP, Thais Hadlich, informou que os critérios para reserva de auditório ficaram mais rigorosos na universidade. Isso aconteceu depois que um evento sobre descriminalização do aborto causou polêmica. Desde então, a PUCPR analisa os eventos a serem realizados para que não haja mais repercussão negativa. Por outro lado, a universidade nunca confirmou a constatação.

Hoje pela manhã, o Coletivo Diversidade recorreu formalmente ao Núcleo de Diretos Humanos da PUC, que apoiará o movimento. Além disso, o Conselho Universitário (CONSUN) também foi acionado. De acordo com William Costa Grande, idealizador do Coletivo Diversidade, movimentos externos à universidade estão acompanhado o ocorrido. As organizações que prestaram apoio são o Grupo Dignidade, Sindicatos dos Professores de Ensino Superior, Conselho Estadual da Juventude, dentre outros.

 

 

Redação Lado A

SOBRE O AUTOR

Redação Lado A

A Revista Lado A é a mais antiga revista impressa voltada ao público LGBT do Brasil, foi fundada em Curitiba, em 2005, pelo jornalista Allan Johan e venceu diversos prêmios. Curta nossa página no Facebook: http://www.fb.com/revistaladoa

Banner Marcação 1000x220

COMPARTILHAR

TAGS


COMENTÁRIOS