Russo alega que Apple o fez “virar gay” e processa a marca; “sofrimento moral”

Redação Lado A 03 de Outubro, 2019 18h35m

COMPARTILHAR

TAGS


Um homem russo chamado D. Razumilov processou a grande marca de eletrônicos Apple. A justificativa do usuário foi que a empresa o influenciou a virar gay e causou “sofrimento moral”. No processo, ele pede uma indenização de 1 milhão de rublos, correspondente a cerca de 62 mil reais.

O celular foi adquirido ainda em 2017, mas Razumilov afirmou que suas relações homossexuais são recentes. Segundo ele, um mecanismo do aparelho o induziu a “experimentar” o mundo gay. Desde então, ele se encontra em relações homossexuais e diz que isso causou danos em sua vida. Um dos problemas é com sua família que não sabe dessas relações gays.

Segundo D. Razumilov, um app de criptomoedas liberou 69GayCoins para uso dele. Depois disso, ele ainda teria recebido uma mensagem desse mesmo app com os dizeres “não julgue sem tentar”. Com esses mecanismos ele se sentiu “tentado” a experimentar relações sexuais gays. Por isso, D. Razumilov alega que o aplicativo, no telefone da Apple, o induziu a ser gay.

Atualmente, Razumilov afirmou que tem um relacionamento e que não pode se assumir. Segundo ele, a maior dificuldade é contar aos pais sobre essa relação. O cliente da Apple afirma ainda que desde que recebeu a mensagem do aplicativo sua vida mudou para pior e nunca mais será a mesma. Razumilov afirmou que a situação provocada pela Apple, segundo ele, causou “sofrimento moral e danos à saúde mental”.

O caso está sob análise do Tribunal Distrital de Presnensky, em Moscou, capital russa. O processo foi registrado na última quarta-feira e em 17 de outubro será o dia da primeira audiência.

A comunidade LGBT da Rússia é cercada de grande opressão. No país, manifestações públicas de homossexualidade bem como para crianças é proibido. Além disso, desde 2013, é proibida a “propaganda gay” em comerciais.

Redação Lado A

SOBRE O AUTOR

Redação Lado A

A Revista Lado A é a mais antiga revista impressa voltada ao público LGBT do Brasil, foi fundada em Curitiba, em 2005, pelo jornalista Allan Johan e venceu diversos prêmios. Curta nossa página no Facebook: http://www.fb.com/revistaladoa

Banner Marcação 1000x220

COMPARTILHAR

TAGS


COMENTÁRIOS