Professor encontrado morto pode ter sido vítima de crime homofóbico

Redação Lado A 18 de Dezembro, 2019 14h39m

O professor de geografia Ronaldo Pescador, de 40 anos, desparecido e encontrado morto no início do mês, pode ter sido vítima de homofobia. Apesar de casado, com esposa e ter uma filha, o morto havia contado que era homossexual para amigos íntimos, segundo o portal Ric Mais Paraná.

O delegado Tito Lívio Barichello, responsável pelo caso, da Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) da capital, não passou informações para a imprensa sobre o caso por ainda estar em investigação e afirmou que não comentará a vida íntima da vítima.

A polícia apurou que, na madrugada do dia 29 de novembro, o professor foi a uma rave no Alto Boqueirão e de lá partiu para um after na casa de um grupo que conheceu no local. O crime teria acontecido nesta residência, por desentendimento, supostamente por conta da sexualidade da vítima. Quatro suspeitos do crime já foram identificados pela polícia, um deles já foi detido.

O professor foi morto com golpes de martelo e seu corpo foi encontrado no dia 1º de dezembro, no porta malas de seu carro, próximo ao Zoológico de Curitiba. Ele estava amarrado com fios, envolto em um cobertor, com uma peça íntima feminina na boca.

Redação Lado A

SOBRE O AUTOR

Redação Lado A

A Revista Lado A é a mais antiga revista impressa voltada ao público LGBT do Brasil, foi fundada em Curitiba, em 2005, pelo jornalista Allan Johan e venceu diversos prêmios. Curta nossa página no Facebook: http://www.fb.com/revistaladoa

Banner Marcação 1000x220

COMENTÁRIOS