Travesti é encontrada morta com mais de 80 facadas no Mato Grosso do Sul

Redação Lado A 12 de Julho, 2018 17h55m

Uma travesti de 40 anos de idade foi encontrada morta no domingo, dia 8 de julho, em Rio Brilhante, na região Centro-Oeste de Mato Grosso do Sul. O corpo foi encontrado por trabalhadores rurais que passavam pela estrada da Estivam, na Vila Nova Esperança, por volta das 2h20 da madrugada.

Registrada como Adilson Francisco da Silva, a vítima era conhecida como Fernanda da Biz. Isso porque ela circulava com uma moto Honda Biz que foi encontrada ao lado do corpo, com o painel manchado de sangue. No local também foram encontradas duas pedras com vestígios de sangue, que provavelmente foram usadas contra a vítima.

Fernanda teve a cabeça dilacerada a pedradas e foi atingida com 80 facadas. Segundo análise realizada pelo Instituto Médico e Odontológico Legal (IMOL), a vítima tentou se defender. A instituição chegou a essa conclusão após observar mais de 45 perfurações somente na mão direita. Em seguida, foram constatados mais 33 ferimentos nas costas, braços e cabeça. Já as pedradas que atingiram a cabeça de Fernanda provocaram traumatismo cranioencefálico e deixaram o rosto da vítima desfigurado.

Investigação

Na tentativa de reunir pistas sobre o caso, o delegado André Luis Fernandes procurou a família de Fernanda. De acordo com a mãe da vítima, a travesti tinha uma vida tranquila, longe de festas e agitações. Ela morava em um edícula no mesmo terreno da casa de sua mãe. A única informação relevante foi a de que a vítima havia se desentendido com vizinhos recentemente.

A polícia desconsidera que Fernanda tenha sido vítima de latrocínio, isto é, roubo seguido de morte. De acordo com as investigações, nenhum item foi levado de Fernanda. Isso inclui o objeto de maior valor da travesti naquele momento, a moto Honda Biz prata que estava no local junto com um capacete.

Uma suspeita do delegado é que o crime tenha envolvimento com o tráfico de drogas. Por outro lado, a família da vítima já havia mencionado que Fernanda não tinha o perfil de usuária de drogas.

Várias testemunhas foram ouvidas sobre o caso. Uma delas disse que viu Fernanda discutindo com um homem horas antes de ser assassinada. No entanto, a polícia também não quer considerar que a morte da vítima possa se tratar de um crime de transfobia.

 

 

Redação Lado A

SOBRE O AUTOR

Redação Lado A

A Revista Lado A é a mais antiga revista impressa voltada ao público LGBT do Brasil, foi fundada em Curitiba, em 2005, pelo jornalista Allan Johan e venceu diversos prêmios. Curta nossa página no Facebook: http://www.fb.com/revistaladoa

Banner Marcação 1000x220

COMENTÁRIOS