Espancado por policiais em bloco de Carnaval, youtuber gay Guigo Kieras chegou a desmaiar

Redação Lado A 12 de Março, 2019 10h40m

No último sábado, dia 9 de março, aconteceu o bloco Largadinho onde um youtuber afirmou ter sido espancado. O bloco era conduzido pela cantora Cláudia Leitte e Guigo Kieras participou do evento antes de ser agredido. O youtuber gay disse que foi se esconder da chuva na marquise de um estabelecimento na Barra Funda, em São Paulo, quando foi abordado por policiais.

“Chegamos a ser agredidos por 4 a 5 PMs que nos batiam com cassetetes”, afirmou o youtuber em uma postagem no Instagram. Guigo disse que estava junto de um amigo quando procurou a marquise de uma churrascaria na Avenida Marques de São Vicente. No local, policiais também estavam abrigados contra a tempestade.

Assim que chegaram na marquise, os policiais disseram que Guigo e seu amigo não poderiam ficar ali. Mesmo assim, sem motivo para se deslocar, os dois saíram do local sem questionar. Logo depois, apenas alguns metros de distância, se abraçaram embaixo de uma árvore para se proteger da chuva e do frio.

Mais uma vez a dupla foi abordada por policiais que mandaram os amigos saírem de perto da árvore. Sem entender, Guigo questionou aos policiais já que no local não havia ninguém. Além disso, segundo Guigo, a presença dos dois no local em nada atrapalhava o trabalho dos policiais. Mesmo assim, foram atacados com cassetetes, gritos, socos e chutes.

Na tentativa de fugir das agressões, os dois correram dos policiais. O soldados então perseguiram os amigos. Um deles conseguiu se esconder e despistar a polícia em meio à multidão. Já Guigo foi alcançado pelos policiais, levado para uma rua afastadas onde tinham mais viaturas e foi espancado. “A última coisa que lembro antes de perder a consciência foi a de pedir para não morrer”, publicou Guigo.

Homofobia

Guigo acusa os policiais de homofobia. Isso porque ele e seu amigo João Henrique Félix estavam abraçados debaixo da árvore. Além disso, no bloco de Carnaval da cantora Claudia Leitte, boa parte dos frequentadores são LGBTI+.

Com a divulgação do ocorrido nas redes sociais e no programa Fantástico, os policiais foram identificados. O caso chamou a atenção dos responsáveis da PM de São Paulo e até mesmo da cantora Cláudia Leitte. Os policiais responsáveis pela agressão foram afastados e serão investigados. “O afastamento dos policiais é apenas o início. Todas as medidas legais estão sendo tomadas.”, finalizou o youtuber.

Redação Lado A

SOBRE O AUTOR

Redação Lado A

A Revista Lado A é a mais antiga revista impressa voltada ao público LGBT do Brasil, foi fundada em Curitiba, em 2005, pelo jornalista Allan Johan e venceu diversos prêmios. Curta nossa página no Facebook: http://www.fb.com/revistaladoa

Banner Marcação 1000x220

COMENTÁRIOS