Vasco da Gama entra em campo segurando faixa “Homofobia é crime” após episódio de preconceito

Redação Lado A 02 de Setembro, 2019 17h24m

COMPARTILHAR

TAGS


“Homofobia é crime. Respeito e igualdade são a nossa história” foi a mensagem passada pela equipe do Vasco da Gama. O time entrou em campo neste domingo (1º) contra o Cruzeiro, no Mineirão. A faixa que a equipe do Vasco da Gama segurava representou um protesto contra a homofobia por parte da torcida durante uma partida contra o São Paulo em 25 de agosto.

Durante a partida do mês passado, em São Januário, a torcida vascaína entoou gritos homofóbicos. “Time de viado”, diziam os torcedores para a equipe adversária. Na ocasião, o árbitro Anderson Daronco sinalizou a atitude da torcida e chamou Vanderlei Luxemburgo, técnico do Vasco. Em resposta, Luxemburgo usou o sistema de som do estádio para pedir respeito por parte dos torcedores.

Apesar de conseguir acalmar os ânimos da torcida, o episódio não ficou apenas dentro do campo. O Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) enviou uma notificação ao Vasco pedindo explicações sobre o ocorrido. De acordo com o STJD, manifestações homofóbicas dentro de estádios são proibidas. Em resposta, o Vasco da Gama afirmou que tomou as providências quanto aos gritos homofóbicos do jogo contra o São Paulo. Além disso o clube informou que já incentiva iniciativas para promover o respeito à diversidade em campo.

Cruzeiro

Diferente da torcida do Vasco da Gama, os torcedores do Cruzeiro continuam reproduzindo homofobia nos estádios. No jogo deste domingo, o mesmo em que o Vasco entrou com a faixa pedindo respeito à diversidade, foi a vez dos torcedores do Cruzeiro preocuparem a direção do clube. Ao final da partida, a torcida cantou uma música com termos homofóbicos que se referiam Atlético Mineiro. Por meio do sistema de som, os torcedores foram informados de que o Galo tomou um gol do Corinthians em uma partida que acontecia em outro estádio naquele mesmo dia. Por isso, para comemorar a derrota do Galo, os cruzeirenses cantaram a música homofóbica.

Diante da situação homofóbica, o Cruzeiro se posicionou. Através de uma nota, o clube informou que faz parte de uma campanha sobre conscientização contra a homofobia. Além disso, o clube afirmou que está se esforçando para educar seus torcedores e que tem conhecimento das proibições do STJD.

 

Redação Lado A

SOBRE O AUTOR

Redação Lado A

A Revista Lado A é a mais antiga revista impressa voltada ao público LGBT do Brasil, foi fundada em Curitiba, em 2005, pelo jornalista Allan Johan e venceu diversos prêmios. Curta nossa página no Facebook: http://www.fb.com/revistaladoa

Banner Marcação 1000x220

COMPARTILHAR

TAGS


COMENTÁRIOS