Execução de jovem gay no Centro de Curitiba continua sem solução

Redação Lado A 22 de Outubro, 2019 15h23m

COMPARTILHAR

TAGS


A Delegacia de Homicídios e Proteção a Pessoa de Curitiba, da Polícia Civil do Paraná, continua investigando a morte de Léo Antônio Michels Ostrovski, 34 anos. Ele foi morto em 11 de outubro na Rua Augusto Stelfeld, no Centro de Curitiba, no portão do prédio onde morava. O crime permanece um mistério para a comunidade LGBT local e para a polícia.

Léo trabalhava em uma multinacional curitibana desde a segunda-feira da semana do crime. Ele estava feliz com o novo emprego e morava no mesmo local há mais de 10 anos. Segundo a polícia, o morador teria sido convocado a descer para receber uma encomenda, quando foi executado à queima-roupa. Léo era ativista dos direitos LGBTI na empresa em que trabalhava anteriormente e iniciou um movimento de interlocução entre movimento LGBT local e a iniciativa privada.

Além de amigo pessoal do fundador da Lado A, Léo ajudou na produção do nosso editorial da edição 34, em 2010. Para a família e amigos, Léo era uma pessoa pacífica, não tinha inimigos e não havia recebido qualquer tipo de ameaça. Imagens capturadas por câmera de vigilância mostram dois homens fugindo do local em uma moto. As imagens não possibilitam identificar os assassinos e nenhuma linha de investigação do crime está descartada. Se você tiver qualquer informação que possa ajudar a polícia a desvendar a morte de Léo Ostrovski, ligue para 0800-6431121. O anonimato é garantido.

Redação Lado A

SOBRE O AUTOR

Redação Lado A

A Revista Lado A é a mais antiga revista impressa voltada ao público LGBT do Brasil, foi fundada em Curitiba, em 2005, pelo jornalista Allan Johan e venceu diversos prêmios. Curta nossa página no Facebook: http://www.fb.com/revistaladoa

Banner Marcação 1000x220

COMPARTILHAR

TAGS


COMENTÁRIOS