discussão

Guerra das bolinhas: Pastor deputado declara guerra contra igualdade de gêneros e marca de sabão

Ideologia de gênero é uma invenção de pessoas que querem acusar quem defende a igualdade dos gêneros de subversão. Para isso, usam as crianças como escudo, já que a batalha de desigualdades entre gêneros vem desde a infância, quando crianças são ensinadas que meninos e meninas tem diferenças que justificam o homem ganhar mais e as mulheres serem escravizadas. Sim, as mulheres são escravas de uma imagem de castidade e pureza que aos homens não é exigida com um fardo.




Peça polêmica Bug Chaser - Coração Purpurinado volta a ser exibida em São Paulo

Após um mês de exibição entre os meses de julho e agosto, a peça Bug Chaser – Coração Purpurinado terá nova temporada a partir de amanhã, 4 de outubro, no Teatro do Núcleo Experimental, em São Paulo.
 
A peça conta a história de Mark (interpretado por Ricardo Corrêa – que também assina a dramaturgia), um homem que está em quarentena sendo analisado por um programa de inteligência artificial.



A cura gay em uma sociedade doente e homofóbica

Ser homossexual não é fácil. Primeiro enfrentamos o preconceito de nós mesmos, quando nos percebemos diferentes. Crescemos ouvindo que somos pecadores, satânicos, destruidores de lares, pervertidos, doentes, pedófilos, entre outros adjetivos que nenhuma criança deveria ouvir. Negamos ser aquilo que querem que sejamos por anos até percebermos e aceitarmos que a nossa felicidade não é um ato egoísta mas um direito.



Por que as obras religiosas podem ofender e incitar a violência e as obras de arte não?

Na última semana, a exposição Queermuseum realizada pelo Santander Cultural de Porto Alegre, foi alvo de grandes críticas, sobre o conteúdo da exposição. A confusão de cancelamento da exposição pode ser conferido aqui. 
 
Conservadores alegam que a exposição faz apologia à pedofilia e zoofilia, e algumas surgiram do Movimento Brasil Livre (MBL), que esteve atuante neste debate.



A quem contempla o movimento LGBT e sua trajetória?

Ao analizarmos a história das conquistas LGBT’s, muito se destacam as turbulências pertinentes a todo um processo de transformação. Iniciado por volta dos anos 70, o movimento atendia primeiramente apenas às expectativas gays. Com o passar dos anos e com o avanço das conquistas da mulheres, as lésbicas também passaram a reivindicar seus espaços em movimentos de igualdade. O mesmo sucedeu- se com as travestis e transexuais, e as pessoas bissexuais. Assim formou-se a sigla LGBT, fazendo referência à Lésbicas, Gays, Bissexuais e Transgêneros.    



Lésbica ex-neonazista é mais uma prova de que o ódio vem do amor enrustido

Angela King lembra como era sua vida quando tinha 23 anos: Em 1998, no Sul da Flórida, nos EUA, ela e seus amigos andavam com botas militares e suspensórios coloridos, e na sua pele havia várias tatuagens de iconografia racista. Eles odiavam gays, negros e judeus e qualquer coisa era motivo para briga. Após espancarem um homem num bar, assaltam uma loja de videos pornôs (o grupo dizia que a pornografia não era benéfica para a raça branca). Logo após, passa a ser procurada pela polícia e foge com seu então namorado, também procurado, para Chicago.



HIV: Carga viral indetectável não dispensa uso de preservativo

Nas duas últimas semanas, o youtuber Felipe Mastrandéa vem levantando polêmica na internet, após revelar ser HIV positivo. Ainda, ele afirma que mantém sua vida sexual igual antes, e fala que pessoas com HIV podem sim transar sem camisinha, se estiverem indetectáveis, como afirma ser seu caso. Ele disse ainda que a responsabilidade de usar o preservativo não está em quem sabe que tem o vírus, mas é uma responsabilidade de todos, o que gerou um mal entendido geral, principalmente quando ele assume o rótulo de “puta”.



The mask you live in: o que você já deixou de fazer por ser homem?

Todos nós em algum momento já tivemos contato com alguma mídia falando sobre o machismo e o quão prejudicial ele é para as mulheres. Mas será que este mesmo machismo, que julga os homens superiores às mulheres e portanto os coloca em uma situação privilegiada em relação à elas, pode fazer algum mal aos próprios homens? É exatamente esse o ponto trazido no documentário The Mask You Live In (2015), da diretora Jennifer Siebel Newsom, disponível na Netflix.



Barriga de aluguel: regulação provoca divergências entre o movimento LGBT e feministas na Espanha

Os dois grandes movimentos sociais que historicamente estão de mãos dadas entram em desacordo quando o tema é barriga de aluguel. Na Espanha, palco da discussão, cogita-se regular a prática proibida pela Lei de Reprodução assistida de 2006. No legislativo, a discussão está para acontecer a partir de projeto que será apresentado em breve pelo partido Ciudadanos. Muito procurada por casais heterossexuais inférteis e casais homossexuais que desejam um filho, a prática da barriga de aluguel causa polêmica quando discutida do ponto de vista feminista e LGBT.



Por que algumas pessoas desistem de procurar o amor?

A forma como os humanos se relacionam passa por mudanças de tempos em tempos. O ser humano se desenvolveu através da história para ser um ser sociável, isto é, ele evoluiu necessitando de outros seres humanos para atingir sua potencialidade. Tomemos como exemplo os humanos recém-nascidos que dependem completamente de outro ser para se alimentar, se limpar, enquanto que, na maioria dos outros animais, o filhote já nasce com certa autonomia, tal qual os bezerros que já começam a andar logo após o nascimento.



Empoderamento: até aonde vai sem configurar uma nova opressão

Em recente matéria publicada no Jornal da USP, surge o debate sobre termos contemporâneos em assuntos que dizem respeito à representatividade e socialização de pessoas consideradas minorias. A publicação do dia 21 de agosto de 2017 traz uma importante reflexão baseada nos estudos do professor e membro da Comissão de Direitos Humanos da Universidade de São Paulo (USP), Ricardo Alexino Ferreira. 




A inveja que rola no meio

Rola muita coisa no meio, mas a falta de r*la pode, também, ser uma das explicações para a infelicidade de muitos. A escassez de amor, de sentir alegria pelo próximo, tem feito a bandeira colorida passar vergonha. Nas redes e nas rodas sociais é aquela disputa cansativa o tempo todo: o mais lindo, o mais sarado, o mais rico, o maior pegador, o casamento mais perfeito/o solteirão mais cobiçado, o mais viajado; o partido político que rouba menos...



Artistas LGBTs são censurados pelo Modo Restrito do YouTube

A plataforma de compartilhamento de vídeos YouTube está causando polêmica entre artistas, youtubers e usuários gays, lésbicas, travestis, transexuais, bissexuais e simpatizantes. O motivo é o recém criado “Modo Restrito” para uso de crianças, que bloqueia conteúdos considerados ofensivos e pesados, ou seja, que teriam classificação para maiores de 16 anos. Este modo bloqueia vídeos de artistas como Lady Gaga, Pabllo Vittar e Lia Clark.
 
A repercussão foi negativa entre os usuários, de maioria jovem.



Amigos, amigos, sexo a parte

Há algumas semanas postei em meu perfil em uma rede social a seguinte frase: “Amigos não transam”, com uma sequência mais polêmica ainda em que dizia que assumissem suas “promiscuidades” e não esquecessem que amigos eram como “família”. Volto ao tema aqui, primeiro porque algumas pessoas não entenderam a subjetividade da postagem, e também porque outros concordaram demais com ela. Não sejamos hipócritas: todos já fizeram ou quiseram fazer sexo com um amigo.



Ser muito bonito é uma dádiva ou uma maldição?

Será que ser uma pessoa bonita, atraente e sexy tem só pontos positivos ou tem também os seus contras? Um em cada cinco brasileiros gostaria de fazer alguma cirurgia plástica de embelezamento. O mercado da beleza é um dos maiores movimentadores da economia nacional. Até que ponto ser bonito e manter a boa aparência é uma dádiva? Estar preso às rotinas da beleza pode ser uma maldição?
 
O modelo e matemático Pietro Boselli, muso que ficou famoso pela beleza em sala de aula, acredita que há poucos pontos negativos em ser bonito.



Insta, Insta meu, existe alguém com mais likes do que eu?

Li numa dessas revistas que pegam poeira em consultório médico, que nós passamos por mais de 300 aprovações por minuto quando encontramos alguém pela primeira vez na vida. Nossos corpos já começam a se comunicar antes mesmo de travarmos um diálogo. Em milésimos de segundos nós passamos uma espécie de raio X na pessoa e damos início à uma série de análises que vão desde o corte do cabelo até à forma de piscar os olhos.



A homofobia, infelizmente, é um crime organizado

Ultimamente, vemos com frequência termos "gayzistas" ou "feminazi" usados contra grupos militantes de homossexuais e de feministas, sendo usados por quem discorda de seus posicionamentos, às vezes considerados “exagerados” de forma proposital. Pois foi exatamente o nazismo que aplicou uma desumanização em nome da sua supremacia para exterminar então judeus, homossexuais, negros, e quem fosse contra seu sistema repressor.



Disney TV passou desenho infantil com casais e beijo gay nos EUA

A animação de TV da Disney Star vs the Forces of Evil transmitiu, pela primeira vez, um beijo entre dois homens na tv infantil norte americana. Apesar da cena sutil e de ninguém ter reparado, muitos consideram um sinal de abertura da produtora. O episódio é o último da terceira temporada do desenho, que é transmitido pela Disney XD nos Estados Unidos. 
 
Na história, os personagens principais estão num show de uma boyband que embala a trilha sonora da amizade entre Star e Marco.



Blocos evitam músicas e marchinhas de Carnaval homofóbicas e machistas em nome do respeito

O Carnaval brasileiro é famoso por ser um tempo onde tudo é permitido, tudo é liberado. Como apresenta o antropólogo James Green em sua obra “Além do Carnaval”, esta é a única época do ano onde se é permitido ser, independente do que for. Entretanto, há uma recente e importante preocupação com o combate ao machismo e a homofobia nas marchinhas de Carnaval.



Páginas